sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Para prevenir o câncer, beba água antioxidante.

1-    Introdução:

    Nosso Corpo é Formado por 70% de água, 20% de matéria orgânica e 10% de minerais. A qualidade da água é de extrema importância para a nossa saúde. Infelizmente hoje temos acesso apenas à água de baixa qualidade ou contaminada. Isto está contribuindo para o aumento de doenças no mundo inteiro.

   De acordo com estatística do IBGE e do Ministério da Saúde, 75% dos atendimentos hospitalares tem como caua doenças de origem hídrica.

Assim como existe um novo conceito em Termos de Alimentos Funcionais, hoje existe um novo Conceito sobre a Água Funcional.

2- Característica que a Água Ideal deve ter:

A água ideal deve ter seis características:

1-    Pureza

2-    pH alcalino

3-    Boa condutibilidade elétrica

4-    Potencial de Oxirredução reduzido

5-    Baixa Tensão Superficial

6-    Ter uma boa combinação de minerais


3- Existe um Novo Conceito Mundial

A água deve ser tratada dentro da residência do consumidor final porque:

- É importantíssimo o tratamento químico da água de poço ou dos rios e lagos por estações de tratamento da água, pelas empresas públicas. Porém nesta água é colocado muito cloro e fluoreto para eliminar as bactérias. Este cloro e demais químicos tem que ser retirado antes do consumo domiciliar da água. As estações de tratamento como a da Cosanpa devem ser considerados como pré tratamento e não como único e final tratamento da água.

- Todas as águas dos nossos rios e aquíferos subterrâneos estão contaminadas com matéria orgânica nocivas como Amônia, Arsênio, Nitratos, etc. deixando-as ácidas e não potáveis, além da presença em excesso do ferro, dos metais tóxicos como Chumbo, Alumínio, Mercúrio presente nos pesticidas e nos despejos dos rejeitos industriais. Estes problemas não são corrigidos nas estações de tratamento.

- Além disso, os canos danificados e antigos das ruas, das casas e dos condomínios, caixas dágua extremamente sujos contaminam a água. Muitas pessoas se esquecem de lavar as caixas d’água todos os meses. A falta da água adequada para a saúde é um problema não só do Brasil, especialmente na região metropolitana de Belém. É um problema Mundial.

- Usando o Ionizador Habitah Fresh da Acqualive Group dentro da sua casa é possível eliminar todos estes problemas, além de adicionar saúde a sua água.

4- Refrigerantes, Água Mineral e Sucos

   A água utilizada na produção de refrigerantes e cervejas na maioria das vezes provém de tratamento por Osmose Reversa, isto é, todos os minerais são retirados da água. É o que chamamos de Água Morta. Não existe Vida em Água Morta. Isto gera osteoporose. O pH do refrigerante e cerveja são ácidos, o que gera mais osteoporose. Água de Osmose Reversa não é apropriado para seres vivos, nem para humanos. É feito para farmácias, laboratórios e uso industrial.

   Água Mineral é engarrafada em embalagem plástica. Embalagens plásticas são feitas a partir de petróleo e são ricas em xenoestrógenos e bisfenol A, que são venenos para a Nossa saúde. Além disso, altera o sabor da água e cada embalagem gera um impacto ambiental enorme. Muitas águas no mercado são ácidas ou apresentam excesso de sódio, o que gera muita retenção de líquidos.

   Nos Estados Unidos alguns colégios passaram a dar apenas sucos de fruta para as crianças, com o objetivo de melhorar a qualidade dos líquidos ingeridos. Para espanto geral as crianças começaram a engordar excessivamente e apresentar fígado gorduroso. Descobriu-se então que o ser humano não sabe lidar com a frutose, açúcar da fruta. A fruta é extremamente saudável, desde que ingerida em natura, pois apresenta vitaminas, minerais e principalmente fibra, que é o antídoto da frutose. Quando se extrai o suco da fruta, retira-se toda a fibra dela. Portanto o suco de fruta não é um bom líquido para ser ingerido! É possível tomar suco de fruta, mas este não deve ser o líquido predominante. O líquido predominante a ser ingerido é Água Alcalina Mineralizada (ionizada). Quando optar por suco, dê preferência para aqueles que têm menos frutose, como o de limão e lima. De preferência também prepara-los com água alcalina ionizada.
 

5- Características do Ionizador:

5.1-         Pureza: Propriedades de Purificação da Água:

Possui certificação Máxima do Inmetro em Termos de Purificação

Apresenta Filtro P1 – retém impurezas que variam de tamanho de 0,5 a 1 micrômetro, a melhor especificação do mercado.

Eliminação quase total do cloro. Lembrando que o cloro é muito prejudicial para a saúde. Causa hipotireoidismo, é extremamente oxidante, corrosivo, danifica o sistema circulatório, altera o sabor da água e dos alimentos e é uma substância altamente cancerígena.

Propriedade Bacteriológica aprovada, o que é uma enorme segurança para a sua saúde.

  A grande maioria dos filtros do mercado não tem a certificação máxima do Inmetro e muitos retém muito pouco cloro e apresentam propriedade Bacteriológica “não se aplica”.

  Diminuição de metais pesados como chumbo, alumínio e mercúrio, dos altamente tóxicos flúor e cloro, entre outros elementos lesivos a saúde do sistema nervoso, imunológico e circulatório, por exemplo. Nos países europeus, a fluoretação da água foi banida, pois o benefício da prevenção da cárie não compensa os malefícios à saúde. Nem mesmo a quantidade recomendada de 0,45 ppm (partícula por milhão) por mililitro de água é segura. No Brasil chega a se adicionar quantidades superiores a 1,5 ppm.
    

5.2           – Porque o ionizador provê a água Ideal para se beber?


Todos os filtros do mercado fazem apenas a purificação em maior ou menor grau. O ionizador  Acqua Live além de ter certificação máxima para purificação, deixa a água com pH alcalino, boa condutibilidade elétrica, com potencial de oxi-redução, com baixa tensão superficial e rico em magnésio. Portanto, o ionizador da Acqua Live produz Água Alcalina Ionizada. Porque isto é tão importante?

5.2.1- Explicação acerca do Ionizador (Publico em geral):

- Água alcalina facilita a eliminação de toxinas ácidas do organismo. Todas as toxinas produzidas no nosso organismo são ácidas. Portanto, as toxinas ácidas se aderem melhor à água alcalina do que a água ácida, o que facilita a sua eliminação, o que desintoxica o organismo.


- Quase a totalidade dos líquidos que ingeridos são ácidos. Se o pH do sangue baixar de 7,4 para 7,3 ocorre a perda de 70% da oxigenação do sangue. Para que isto não ocorra é necessário retirar minerais dos ossos – isso gera osteoporose.


- Água ionizada alcalina da Acqua Live é enriquecida com minerais Magnésio, Cálcio e Potássio. Para se levantar um braço é necessário que a água do corpo tenha minerais para conduzir eletricidade do córtex cerebral ao músculo. Quando a água é pobre em minerais, para que aja condução da eletricidade, é necessário retirar mais minerais dos ossos. Isto leva a mais osteoporose.


- É Antioxidante - Um dos processos de envelhecimento do nosso corpo é por radicais livres. Radicais livres precisam captar elétrons para se reduzir. Quando captam elétrons de outras estruturas, estas ficam com menos elétrons e também se tornam radicais livres, gerando um efeito cascata. Quando a substância precisa captar elétrons chamamos que ela tem um REDOX (potencial de oxi- redução) + (positivo). A maioria dos líquidos ingeridos tem um REDOX + e funcionam como radicais livres. A água alcalina tem Redox reduzido e funciona como antioxidante natural.


    


- Existem estudos que sugerem que muitas doenças que pioram muito com Radicais Livres (Estresse Oxidativo) como Diabetes, Doença Neurodegenerativa (Parkinson, Alzheimer, etc), Aterosclerose, entre outras doenças podem apresentar melhoras com a Água Alcalina Ionizada com REDOX Reduzido.

    


- Outros estudos relacionam o Uso de Água Alcalina Ionizada a Melhora de Sintomas Gastrointestinais, tais como, Diarreia Crônica, Azia, Gastrite e Constipação além de ser uma Facilitadora no Emagrecimento. Como já dito anteriormente, Melhora e Previne de Osteoporose.


- 70% do nosso corpo é formado de água e 100% das nossas células tem água. Dar uma água de boa qualidade para seu corpo irá melhorar a sua saúde.

 5.2.2 Revisão da Literatura (Explicação para profissionais da área saúde)


    No Japão, pesquisa sobre água funcional, está se desenvolvendo rapidamente. A água alcalina ionizada reduzida, com potencial de oxirredução (ORP) reduzido, é capaz de diminuir os radicais livres em células cultivadas.

Existe uma expectativa que a água alcalina reduzida previna e tenha efeitos positivos em doenças relacionadas a estresse oxidativo, como diabetes, aterioesclerose, doenças neurodegenerativas e até em câncer. Tem se sugerido que o agente ativo na água reduzida seja o hidrogênio (átomo e moléculas), nanopartículas minerais e hidretos minerais de nanopartículas.

De janeiro de 1996 a janeiro de 1999 foi conduzido um estudo duplo-cego sobre o efeito da água alcalina ionizada em pacientes com sintomas de azia, distensão abdominal, diarreia crônica e constipação.


O número de pacientes no grupo da água alcalina ionizada foi de 84 e 79 no grupo de água purificada. Os pacientes tomavam por 2 semanas  água com pH de 9,5 ou água purificada. Demonstrou-se que no grupo da água alcalina houve uma melhora significativamente maior nos sintomas do que na água purificada. No grupo de diarreia crônica a melhora no grupo da água alcalina foi de 94,1% enquanto na água purificada foi de 64,7%. 1


Mecanismo de Ação da água alcalina reduzida contendo hidrogênio e nanopartículas minerais com a capacidade de diminuir Radicais Livres.

Estudos clínicos sugerem que a água reduzida melhora o estresse oxidativo relacionado a doenças. 2  Shirahata e cols demonstraram que a água reduzida diminui os radicais livres e inibem o dano in vitro da lesão do Radical Livre no DNA. 3



Efeito Antidiabético da Água Alcalina Reduzida:


De acordo com um estudo de Saúde e Nutrição de 2007 existem 22,1 milhões de pessoas diabéticas no Japão, cerca de 1/6 de toda a população. Diabetes é preferencialmente classificada em 2 tipos: Diabetes tipo 1 (insulina dependente) e Diabetes tipo 2 (não insulino dependente causado por dano oxidativo nas célula beta pancreáticas devido ao ataque de células imunológicas). Diabetes tipo 2 é associado ao dano oxidativo da células musculares e adipócitas devido a estresse, hiperfagia e falta de exercício.

Tem sido demonstrado que a água alcalina reduzida (ORP reduzido) é capaz de diminuir a ação de radicais livres intracelulares nas células beta pancreáticas de Hamster, o que elevou consideravelmente a secreção de insulina.  4, 5, 6, 7


A água alcalina reduzida eliminou os Radicais livres nas células musculares de ratos e aumentou a captação de glicose por estas células. 8


A água alcalina reduzida também promoveu a fosforilação do receptor de insulina pela supressão da atividade da proteína tirosina fosfatase, que é redox sensível e é ativada pela PI3 kinase, assim como provomeu a translocação do transportador de açúcar GLUT 4 para a membrana da célula o que gera aumento na captação de glicose. 9


Esta água também diminuiu tolerância a glicose em ratos com diabetes tipo 2.10,11 Água reduzida derivada da água da torneira também melhorou o sintoma de diabetes em ratos. 12, 13,14


Um estudo clínico em humanos demonstrou que 45% de 411 pacientes com diabetes tipo 2 (idade média de 71,5 anos) que tomaram 2 litros de água reduzida diariamente por 6 dias apresentaram diminuição significativa da glicemia e HbA1. Esta diminuição se manteve no longo prazo.  Além disso, o colesterol total, LDL e creatinina diminuíram significativamente, enquanto que HDL aumentou significativamente. 15,16


No Central Hospital in Jilin Cangchun na China foi realizado um estudo com 65 pacientes com diabetes e 50 pacientes com dislipidemia que tomaram 2 litros de água alcalina ionizada por 2 meses. Houve uma diminuição significativa da glicemia em 89% dos pacientes com diabetes. Além disso, houve diminuição significativa do triglicerídeo e colesterol total em 92% dos pacientes. 17


Foi realizado um estudo duplo cego na Universidade de Hiroshima entre Novembro de 2008 e Setembro de 2009 com 100 pessoas que tomaram 2litros de água alcalina diariamente. Foi encontrado melhora dos níveis de glicose, pressão

arterial, colesterol total, LDL e aumento significativo nos níveis de leptina e melhora da constipação.18

Função do Magnésio na Água

O magnésio é mais abundante em rochas que no solo.  O solo brasileiro é sabidamente pobre em rochas que contenham  magnésio, mais comum em terras vulcânicas. Isto se reflete no lençol freático, o que reflete na ingestão de magnésio. 19,20

O magnésio é fundamental na estabilização da formação dos nucleotídeos para a estrutura helicoidal tridimensional do DNA, condição básica para a duplicação ou replicação da célula. 21 Para transcrever o DNA através do RNA mensageiro e converter esta informação em uma sequência de aminoácidos (formação da proteína) também é fundamental a presença do magnésio.

Nos organismos complexos o magnésio se destaca pela potencialidade de ativar reações químicas em praticamente todos os metabolismos, tais como as de hidrólise, de gorduras, de proteínas, ácidos nucléicos, síntese de coenzimas, contração muscular e transferência de radicais metila. Estas reações perdem a eficiência caso o magnésio não esteja suprido no sistema vivo.

Além das enzimas acima citadas, vale lembrar a fosfatase alcalina, necessária a construção do esqueleto e as peptidases com função fracionadora de proteínas. O magnésio ativa cerca de 350 enzimas no organismo.

O magnésio tem uma relação muito estreita com os outros minerais nutrientes, existentes em forma iônica no organismo (eletrólitos), tais como o sódio, potássio, cálcio, cujas bombas iônicas são magnésio dependentes. Portanto uma baixa de potássio (hipocalemia) pode ser secundária a baixa de magnésio (hipomagnesemia).

O magnésio também exerce função como mensageiro, ou seja, transmite instruções dos hormônios para as membranas celulares para processar efeitos fisiológicos no interior da célula. 22,22

É consensual admitir que a entrada dos minerais pela água na cadeia alimentar seja a hipótese mais convincente para explicar a correlação com a mortalidade cardiovascular dos habitantes de áreas cujos solos têm composição geoquímica rica ou deficiente em magnésio. 24

É surpreendente a longevidade dos Hunzas, povo do Paquistão Ocidental, que exibe excelente estado de saúde, além do aumento da expectativa de vida em virtude do hábito de ingerir um a suspensão aquosa de minerais extraído de certas rochas. Esta bebida proporciona aos Hunzas reserva extra de minerais, com predominância de magnésio na sua provisão alimentar. 25

Estudos da correlação de certas doenças com os tipos de solos em que vivem as diversas populações do mundo têm apontado que os solos não lixiviados e não esgotados pela ação das chuvas que absorvem minerais, principalmente o magnésio provindo da decomposição das rochas ígneas ou metamórficas, corresponde às áreas de menor incidência de doenças cardio e cerebrovasculares.

É evidente que o aspecto importante do estudo é a ênfase da entrada de minerais na cadeia alimentar humana, por meio da água, que eventualmente, pode corrigir carências do magnésio nas regiões de alta morbi-mortalidade cardiovascular.

Kobayashi foi o primeiro investigador a sugerir uma correlação entre o efeito protetor do magnésio em derrames cerebrais. 26

Estudos na Finlândia evidenciaram que regiões de solo pobre em magnésio continham alta incidência de mortalidade cardiovascular, inclusive arritmias e morte súbita. Entretanto quando os finlandeses emigravam para outros países, acabavam alcançando uma expectativa de vida acima da média. Houve então uma recomendação da Saúde Pública Finlandesa de acrescentar potássio e magnésio no sal, o que teve um resultado surpreendente, revertendo consideravelmente o alto índice de doença cardiovascular no país.27

Os estudos epidemiológicos da correlação do solo pobre e água doce escassa em magnésio abriram o cenário para a conscientização preventiva do problema, que não depende só da alimentação, mas envolve o meio ambiente e a composição geoquímica da água própria da região em que se vive.

Levando em conta estes estudos epidemiológicos, o Conselho Nacional de Pesquisas dos EUA (National Research Council) recomenda a ingestão diária de 25 a 42 mEq, ou 300 a 500mg/dia de magnésio.

No tocante da medicina preventiva, Schroeder foi um dos principais autores a atribuir a carência de magnésio o risco de doenças crônicas graves, sobretudo a aterosclerose. 28

O processo de refinamento de alimentos elimina 80% do magnésio da farinha de trigo, 83% do arroz branco, 99% no açúcar refinado extraído do melado e 97% do amido refinado do milho. 28

Repetidos levantamentos das taxas de magnésio da dieta ocidental apontam um déficit que tem sido correlacionado com a doença cardiovascular endêmica, também associada ao baixo teor de magnésio na água potável.29

No Brasil as doenças cardiovasculares e cerebrovasculares são endêmicas. Há correspondência desta alarmante estatística com a deficiência de magnésio em 90% do solo brasileiro, segundo estudos geoquímicos nacionais. Estudos de Velloso revelaram um nível muito baixo de magnésio na urina na grande maioria da população estudada nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.20

Hábito alimentar com excesso de cálcio contribui para o déficit de magnésio. O excesso de gorduras e produtos açucarados são fatores que reduzem a absorção de magnésio. O frequente uso de bebidas alcoólicas também aumenta a perda urinária de magnésio.  O índice cálcio magnésio alimentar brasileiro pode variar de 5 a 9. Ao contrário, no Japão, cujo solo vulcânico é rico em magnésio, o índice Cálcio/magnésio é de 1,2, a prevalência de doença cardiovascular é muito menor, a ponto dos infartos serem algo incomum no país. 30

É evidente a correlação entre a incidência de mortalidade por doenças cardiovasculares e a relação cálcio/magnésio na dieta de cada país. Vale ressaltar que a Finlândia, que apresentava a maior incidência de óbitos em 1977, reduziu consideravelmente esse índice com a mudança dos hábitos alimentares: adoção do sal composto com o magnésio.

Estes fatos apontam para a realidade de que o organismo humano, assim como uma planta, depende do meio ambiente em que vive, envolvendo o ar, o solo, a água e os componentes da cadeia alimentar.

A concentração de magnésio pode influenciar o fluxo sanguíneo, a pressão arterial e a reatividade vascular. O aumento de magnésio produz vasodilatação e hipotensão arterial e a falta de magnésio produz hipertensão e aumento da resistência vascular. 31

Metabolismo do magnésio no Homem

Cerca de 60% do magnésio está nos ossos e 29% do magnésio está nos músculos. Apenas em torno de 1% está no tecido extracelular. Em face do magnésio sérico não representar 1% do magnésio total do organismo, a normalidade do magnésio no exame do soro pode coexistir com acentuado déficit de magnésio no organismo e não é o exame ideal para a avaliação clínica.

Cerca de 30% do magnésio do sangue está ligado a proteína e o restante constituem uma forma ionizada, que aparentemente exerce a função biológica.

Como a concentração maior de magnésio é intracelular, uma das formas de análise é o teor nas hemácias, que varia de 4,4 a 6 meq/L.

A dieta ocidental é pobre em magnésio. Nos Estados Unidos o consumo de magnésio é de 240mg a 480mg/dia, 32 sendo que no Brasil a ingestão é mais deficiente segundo Velloso. 20

A alta ingestão de alimentos refinados, a alta ingestão de gorduras e o excesso de sal e açúcar na alimentação, além de bebidas alcoólicas e principalmente refrigerantes do tipo cola, reduzem a absorção de magnésio.

O problema do solo brasileiro, pobre em magnésio, dificilmente poderá ser corrigido de forma adequada, de modo que os alimentos, tanto de origem vegetal, como animal, apresentam uma deficiência básica de magnésio.

O ideal seria que a água mineral contivesse pelo menos 25mg/litro de magnésio, sendo que alguns autores defendem a concentração de 100mg/Litro de magnésio em regiões muito deficientes, como o Brasil. Nenhuma fonte de água mineral no Brasil apresenta sequer a concentração mínima de magnésio recomendada de 25mg/litro em função da composição geológica do solo brasileiro.

O homem paleolítico consumia cerca de 800 a 1500mg/dia de magnésio. A alta ingestão de magnésio correspondia à quantidade equivalente de cálcio cuja relação era de 1 cálcio para 1 magnésio.

O homem contemporâneo absorve de 5 a 15 vezes mais cálcio que magnésio, o que resulta em sérios problemas de saúde. 33

Outro agravante é a relação sódio potássio. Enquanto o homem paleolítico ingeria 5x mais potássio que sódio, o homem contemporâneo ingere 5x mais sódio que potássio.  É sabido que o homem paleolítico  não sofria de muitas doenças degenerativas, que são o flagelo do homem contemporâneo.

Segundo publicação da Organização Mundial de Saúde de 2009 34 baixos níveis de magnésio estão associados à disfunção endotelial, aumento de reações vasculares, aumento da Proteína C Reativa e diminuição da sensibilidade à insulina. A deficiência crônica de magnésio está associada à hipertensão, doença coronariana, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica. 34

Revisando a Fisiologia dos Minerais no Guyton & Hall (2011)35, apesar de semelhantes nas suas propriedades químicas, o Mg++ e o Ca++ tem funções biológicas opostas, que se completam.

O cálcio se situa no exterior celular, ao passo que o magnésio está predominantemente localizado no interior. O cálcio excita os nervos, enquanto o magnésio acalma a tensão nervosa. O cálcio junto com o potássio promove a contração muscular, enquanto o magnésio relaxa e descontrai a musculatura.

O cálcio é fundamental para o processo de coagulação sanguínea, enquanto o magnésio previne a coagulação intravascular, que pode representar um alto risco para o organismo.

O Cálcio é mais abundante no tecido ósseo, ao qual confere a dureza característica, ao passo que o magnésio se localiza nos tecidos moles. Entretanto, a matriz óssea encontrada no interior dos ossos contém proteína e magnésio, que proporciona aos ossos flexibilidade e resistência à fraturas.

A concentração do íon magnésio no interior celular é 10.000 vezes maior que a do íon cálcio em condições normais. Quando há queda de magnésio no interior a célula, os íons de cálcio penetram no interior celular provocando sérios distúrbios.

Um sério abalo no meio intracelular pode ocorrer quando o teor de cálcio aumenta e desencadeia uma reação, que põe a célula em estado de excessiva excitação.

A recomendação de cálcio para mulheres acima de 40 anos falha em um ponto crucial. Altos níveis de cálcio podem tornar os ossos mais frágeis e a ingestão de cálcio sem magnésio pode levar à deficiência adicional de magnésio.

Para gerar contração muscular, o cálcio que se localiza fora da célula (espaço extracelular), precisa entrar na célula através dos canais de cálcio. Após o cálcio precisa ser imediatamente removido, sob a pena de sérias alterações, tanto da função como da integridade celular. A remoção do cálcio é magnésio dependente.  O excesso de cálcio no interior das células da musculatura lisa da coronária pode gerar dor torácica, na artéria temporal superficial gera enxaqueca, no canal do colédoco, cólica biliar, no ureter, cólica renal e na musculatura lisa dos brônquios, asma. Para isto a indústria produziu vários antagonistas do canal de cálcio. Esqueceram que o magnésio é o antagonista natural do cálcio.

A deficiência de magnésio também pode causar distúrbios do ritmo cardíaco, alguns tipos de arritmias.

Schechter em 1999 comprovou que a suplementação com magnésio inibiu trombose plaqueta dependente.36 A longo prazo, com excesso de cálcio as artérias enrijecem e desenvolvem a formação de placas em virtude do aumento de LDL. Isto acelera o dano do endotélio e pode formar trombo ou coágulo o que leva a infarto ou AVC.

Quando o magnésio está com bons níveis intracelulares: 37

- tem ação antioxidante, protege as moléculas dos radicais livres.

- ao nível enzimático há suficiente produção de ATP.

- no nível celular o balanço eletrolítico é mantido, com os ajustes dos íons cálcio, sódio, potássio e magnésio dentro dos parâmetros normais, sem haver calcinose (excesso de cálcio).

- no nível tissular: o sangue flui sem obstáculos e sem tendência à formação de coágulos.

- No nível orgânico: o magnésio promove o bombeamento do sangue, de forma contínua e regular, alternando a sístole e a diástole sem palpitações ou arritmias.

6- Conclusão

O consumo de água deve ser estimulado pela comunidade médica. O abuso de refrigerantes, pobre em minerais e com pH extremamente baixo tem levado a sérios problemas de saúde. As águas minerais que tomamos são pobres em magnésio e vem contaminadas com xenoestrógenos e bisfenol, derivados do plástico, que são derivados do petróleo e que são altamente tóxicos para consumo.

Estudos com sucos demonstraram que a frutose ingerida em alta quantidade sem a fibra, provoca esteatose hepática e engordam.

A água tratada que recebemos em casa vem com sujeira dos canos das ruas e das residências, além de terem muito cloro e flúor que são tóxicos, produzem hipotireoidismo. Enquanto o cloro está associada a diversas doenças, inclusive câncer, o flúor é considerado um carreador de metal tóxico para o cérebro levando a  doenças neurodegenerativas.

Mas, qual água devemos consumir?

A Acqua Enterprise desenvolveu o Filtro Acqua Live que apresenta a certificação máxima do Inmetro em termos de purificação, diminui mais de 98% do cloro, reduz flúor, metais tóxicos e impurezas da água. Além disso, o Acqua Live produz água alcalina ionizada, que tem sido relacionado em laboratório e em estudos clínicos com uma melhora de doenças relacionadas ao estresse oxidativo, além de ter um poder de hidratação superior e atender a demanda por magnésio, que é extremamente carente no nosso país.

7- Referências Bibliográficas:


1-      Tashiro, H., Kitahora, T., Fujiyama, Y., & Banba, T. (2000). Clinical evaluation of alkali-ionized water for chronic diarrhea e placebocontrolled double-blind study. Digestion & Absorption, 23, 52e56.


2-      Hayashi, H., & Kawamura, M. (2002). Clinical application of electrolyzed-reduced water. In S. Shirahata, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 12 (pp. 31e36).Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


3-      Shirahata, S., Kabayama, S., Nakano, M., Miura, T., Kusumoto, K.,Gotoh, M., et al. (1997). Electrolyzed-reduced water scavenges active oxygen species and protects DNA from oxidative damage.Biochemical and Biophysical Research Communications, 234,269e274.


4-      Li, Y.-P., Hamasaki, T., Nakamichi, N., Kashiwagi, T., Komatsu, T., Ye, J., et al. (2010). Suppressive effects of electrolyzed reduced water on alloxan-induced apoptosis and type 1 diabetes mellitus. Cytotechnology, doi:10.1007/s10616-010-9317-6.


5-      Li, Y.-P., Hamasaki, T., Teruya, K., Nakamichi, N., Gadek, Z., Kashiwagi, T., et al. (2011). Suppressive effects of natural reduced waters on alloxan-induced apoptosis and type 1 diabetes mellitus. Cytotechnology, in press.


6-      Li, Y.-P., Nishimura, T., Teruya, K., Maki, T., Komatsu, T., Hamasaki, T., et al. (2002). Protective mechanism of reduced water against alloxan-induced pancreatic b-cell damage: scavenging effect against reactive oxygen species. Cytotechnology, 40, 139e149.


7-      Li, Y.-P., Teruya, K., Katakura, Y., Kabayama, S., Otsubo, K., Morisawa, S., et al. (2005). Effect of reduced water on the apoptotic cell death triggered by oxidative stress in pancreatic b HIT-T15 cell. In F. Godia, & M. Fussenegger (Eds.), Animal cell technology meets genomics (pp. 121e124). Dordrecht: Springer.


8-      Oda, M., Kusumoto, K., Teruya, K., Hara, T., Maki, S., Kabayama, S., et al. (1999). Electrolyzed and natural reduced water exhibit insulin-like activity on glucose uptake into muscle cells and adipocytes. In A. Bernard, B. Griffiths, W. Noe, & F. Wurm (Eds.), Animal cell technology: Products from cells, cells as products

(pp. 425e427). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


9-      Shirahata, S., Li, Y., Hamasaki, T., Gadek, Z., Teruya, K., Kabayama, S., et al. (2007). Redox regulation by reduced water as active hydrogen donors and intracellular ROS scavengers for prevention of type 2 diabetes. In E. Smith (Ed.), Cell technology for cell products (pp. 99e101). Dordrecht: Springer.


10-  Shirahata, S., Nishimura, T., Kabayama, S., Aki, D., Teruya, K., Otsubo, K., et al. (2001). Anti-oxidative water improves diabetes. In E. Lindner-Olsson, et al. (Eds.), Animal cell technology: From target to market (pp. 574e577). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


11-  Gadek, Z., & Shirahata, S. (2002). Changes in the relevant test parameters of 101 diabetes patients under the influence of the socalled “Nordenau-phenomenon”. In S. Shirahata, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 12 (pp. 427e431). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


12-  Osada, K., Li, Y.-P., Hamasaki, T., Abe, M., Nakamichi, N., Teruya, K., et al. (2010). Anti-diabetes effects of Hita Tenryosui water, a natural reduced water. In K. Ikura, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 15 (pp. 307e313). Dordrecht: Springer.


13-  Jin, D., Ryu, S.-H., Kim, H.-W., Yang, E.-J., Lim, S.-J., Ryang, Y.-S., et al. (2006). Anti-diabetic effect of alkaline-reduced water on OLETF rats. Bioscience, Biotechnology, and Biochemistry, 70, 31e37.


14-  Kim, M.-J., & Kim, H.-K. (2006). Anti-diabetic effects of electrolyzed reduced water in streptozotocin-induced and genetic diabetic mice. Life Sciences, 79, 2288e2292. Kim, M.-J., Jung, K.-H., Uhm, Y.-K., Leem, K.-H., & Kim, H.-K. (2007). Preservative effect of electrolyzed reduced water on pancreatic b-cell mass in diabetic db/db mice. Biological and Pharmaceutical Bulletin, 30, 234e236.


15-  Gadek, Z., Hamasaki, T., & Shirahata, S. (2009). “Nordenau phenomenon” e application of natural reduced water to therapy. Follow-up study upon 411 diabetes patients. In K. Ikura, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 15 (pp. 265e271). Dordrecht: Springer


16-  Gadek, Z., Li, Y., & Shirahata, S. (2006). Influence of natural reduced water on relevant tests parameters and reactive oxygen species concentration in blood of 320 diabetes patients in the prospective observation procedure. In S. Iijima, & K.-I. Nishijima (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 14

(pp. 377e385). Dordrecht: Springer.


17-  Osada, K., Li, Y.-P., Hamasaki, T., Abe, M., Nakamichi, N., Teruya, K., et al. (2010). Anti-diabetes effects of Hita Tenryosui water, a natural reduced water. In K. Ikura, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 15 (pp. 307e313). Dordrecht: Springer.


18-  Higashikawa, F., Kuriya, T., Noda, M, & Sugiyama, M. (2009). Verification of improving action of mineral water on lipid metabolism in clinical trials. In Abstract book of the 7th meeting of the Japanese Society of Preventive Medicine (pp. 20).


19-  Simpósio sobre o Cerrado. 1980, Brasília. Deficiências Nutricionais em Solos. São Paulo: Editerra. P. 593-614


20-  Velloso da Costa, A. Studies of Magnesium and Calcium Excretion ia a Normal Population Sample in Brazil”, 1985. Halpern, Durlach Eds.: 233-38. Karger. Basel.


21-  Zubay, G., The Interaction of nucleic acids with Mg-ions. Biochim. Biophis. Acta, 1959, 32, 233.


22-  Hechter, O. Concerning possible mechanisms of hormone action. Vitam. Horm., 1955, 13, 293.


23-  Krahl, M.E., the Action of Insulin on Cells, Academic Press, 1961, New York, 177.


24-  Schacklette, H.T. e cols. Geochemical Environments and Cardiovascular Mortality Rates in Georgia, Geol Survey Professional Paper, 574 – D, U.S. Government Printing Office, Washington, D.C., 1971, F1.


25-  Keller, W.D., Drinking Water. A geochemical factor in human health. Geol. Soc. Am. Bu… 1978, 89,.334.


26-  Kobayashi, J., On Geographical relationship between the chemical nature of river water na death rates from applexy. Ber. Ohara Inst. Landwirtsch. Biol. Okayama Univ., 1957, 12,12.


27-  Karppanen, H. e P.J. Neuvonen., Ischaemic heart disease and soil magnesium in Finland., Lancet, 1973, 2, 1390.


28-  Schroeder, H.A., Losses of vitamins and trace minerals, resulting from processing and preservation of foods. Am. J. Clin. Nutr. 1971, 24, 562.


29-  Marier, J.R., Cardio protective contribution of hard waters to magnesium intake.


30-  Rev. Can. Bio. 1978, 37, 115.


31-  Seelig, M.S. Magnesium Deficiency in the Pathogenesis of Disease, Early, Roots of Cardiovasuclar, Skeletal, and Renal Abnormalities. New York e Loondre. Plenum Medical Book Co Ed,., 1980, pg 21.


32-  Altura, B.M. e B.T., Altura, Magnesium and Vascular tone an reactivity. Blood Vessel, 1978 15,5.


33-  Jones, J.E. e cols., Magnesium requirement in adults. Am. J. Clin, 1967, 20,632.


34-   Cordain, L., The palio diet, John Wiley ed. New York, 2002, p.32.


35-  Cotruvo J, Bartram J, eds. Calcium and Magnesium in Drinking-water : Public health significance, Geneva, World Health Organization, 2009.


36-  Guyton & Hall. Tratado de Fisiologia Médica, 2011


37-   Schechter, M., et al. Oral Magnesium Supplementation Inhibits Platelet-Dependent Thrombosis in Patients with Coronary Atrtery Disease, The American Journal of Cardiology, 1999, 84: 152-156.


38-  Velloso, V.C. Magnésio – O que el epode fazer por você? Thesaurus, 2010. 312p.


Efeitos Anti Câncer da Água Alcalina com ORP Negativo



Kyu-Jae Lee 1,2, Seung-Kyu PARK 1,2, Jae-Won KIM 1 , Gwang-Young Kim 1, Young-SukRyang 5, Geun-Ha KIM 1, Hyun-Cheol CHO 3, Soo-Kie KIM 2,3, E Hyun-Won KIM 2, 4

1Departamento de Parasitologia, 2 Instituto de Ciências Médicas Básicas, 3 Departamento de Microbiologia, 4Departamento de Bioquímica, Faculdade de Wonju Medicina, Yonsei Univ. (Wonju, Coreia) 5DeptofBiomedical Science Laboratory e do Instituto de Ciências da Saúde, Faculdade de Ciências da Saúde, Yonsei Univ. (Wonju, Coreia)


Abstract: Alguns minerais podem produzir água alcalina com pHalto e ORP negativo, quando dissolvido em água. Água alcalina reduzida (ARW) mostrou efeito anticancerígeno significativo. Quando células de melanoma B16 foram inoculadas por via subcutânea e intra-peritoneally, C56BL / 6 ratos alimentados com ARW mostrou retardo no crescimento do tumor e o tempo de sobrevida foi significativamente aumentado. ARW também mostrou a inibição da metástase, reduzindo o número de colônias de melanoma B16 quando injetado pela veia da cauda. A quantidade de espécies reativas de oxigênio (ROS) foi muito reduzida quando alimentados com ARW exceto para o baço, que é um órgão importante para a imunidade. Mesmo para os ratos normais, a ingestão de ARW invocoucitocinas sistêmicas, tais como, Th1 (IFN-γ, IL-12) e Th2 (IL-4, IL-5), sugerindo efeito imuno-modulação forte. Ambos os efeitos de diminuição das ROS e imuno-modulação pode ser responsável pelo efeito anticâncer da água alcalina reduzida.

Palavra-chave: água alcalina reduzida, efeito anticancerígeno, antioxidante, imuno-modulação


1. Introdução

Espécies reativas de oxigênio (ROS) ou radicais livres são um dos grandes criminosos porcausar o dano oxidativo a macromoléculas biológicas. Estes ROS instáveis ​​são conhecidos por causar ou agravar uma variedade de incurável doenças como câncer, doenças cardiovasculares, doenças neuro-degenerativas, bem como o envelhecimento.


2)O celular radial-catadores, tais como superóxido dismutase, catalase, glutationaperoxidase são naturais sistema de defesa contra ROS. Fonte externa de proteção antioxidante incluem vitaminas antioxidantes C, E,  caroteno e carotenóides, bem como minerais, tais como selênio e zinco. Grandes esforços têm sido feitos em uma tentativa de encontrar seguros e potentes antioxidantes naturais. Água consiste de 70% do corpo humano. Água atinge todos os tecidos do corpo humano dentro de 30 minutos após ser ingerida. Ele ainda flui através de barreira hemato-encefálica com nenhum obstáculo, e tem quase nenhum efeito co-lateral. Se a água em si poderia funcionar como um agente de limpeza, seria ideal se ela se transformasse em antioxidante.


3) Recentemente, a água eletrolisada com pH elevado e ORP negativo foi demonstrado que têm como atividade catalítica, podendo, assim, limpar espécies ativas de oxigênio e proteger o DNA dos danos causados ​​pelos radicais livres de oxigênio.


4)Nós desenvolvemos uma combinação mineral para produzir água reduzida alcalina (ARW) com pH alto e baixo ORP semelhante ao processo feito por eletrólise.A combinação de minerais se mostrou mais fácil de transportar e mais barata do que o sistema de eletrólise para produzir água alcalina com ORP negativo. O presente artigo demonstra efeito anticancerígeno da água alcalina reduzida em modelo animal. Hyun-Won KIM, Ph.D., Departamento de Bioquímica, Faculdade Wonju de Medicina, Yonsei Univ., Wonju 220-701, Coréia.



2. Materiais e Métodos

Água alcalina reduzida (ARW)

ARW foi feita colocando combinações mineral em garrafa de água. O pH da água foi aumentada até 10,5 e ORP foi diminuída até-200mV. O mineral conteúdo de ARW também foram aumentados dependendo do tempo. Células animais e Camundongos C57BL / 6 (4-5 semanas) foram obtidos a partir do DaehanLink BioCo., Ltd. (Chungbuk, Coréia), e mantidos em ração padrão e água de torneira, até tomar ARW. Linhagens de células de melanoma de Rato B16 foram mantidos em Dulbecco Modificado de Águia (DMEM) suplementado com 5% inativado pelo calor do soro fetal bovino (FBS) em atmosfera húmida de 95% do ar-5% CO2 a 37 ° C. A alta linhagem de células metastáticas B16 foi isolado do pulmão de camundongos C57BL / 6 do rato, que tinha foram inoculados intra peritonealmente com células B16. Células foram clonados pelos métodos de diluição limitante eos clonados selecionados foram inoculados em camundongos. Este método foi repetido três vezes, eo clone final com alta potencial metastático foi obtido como B16-BL6 células de melanoma. Avaliação in vivo do Efeito Anti metastatic Culturas de células de melanoma B16-BL6 foram colhidas com 2 mM EDTA em PBS, e em seguida lavadas três vezes com PBS. 1 × 106Células B16-BL6 melanoma foram por via intravenosa, injetados na veia da cauda de controle e ARW- administrados camundongos C57BL / 6. Após 20 dias, camundongos foram sacrificados e os pulmões foram coletados para contar as colônias de metástase células B16-BL6 melanoma. Na supressão do crescimento tumoral Vivo Culturas de células de melanoma B16-BL6 foram colhidas com 2 mM EDTA em PBS, lavadas três vezes com PBS. 1 × 10 6Células B16-BL6 melanoma foram subcutaneamente injetado na parte de trás C57BL / 6 mouse. O comprimento do eixo longo e curto do tumor foram medidos a cada dia e os volumes foram calculados usando a fórmula ab 2 / 2, onde a é o comprimento de tempo eixo e b o comprimento do eixo curto.  Curva de sobrevida foi plotados usando Kaplan-Meier.


Página 2

Citocina ELISA

As concentrações de citocinas de soro de camundongos foram medido pelo método convencional sandwich ELISA. O revestimento e o anticorpo de captura biotinilado foram adiquiridos da PharMingen (EUA): clones JES5-2A5 e JES5- 16E3 para IL-4 e clones R4-6A2 e XMG1-2 para IL5,  respectivamente. Revestimento em 96 poços da placa de microtitulação foi realizada com 250g de anticorpo de revestimento. Amostra de soro, anticorpo de captura biotinilado, o anticorpo secundário e então streptavidinylated HRP foi adicionado seqüencialmente, incubadas e lavadas. O solução de fenilenodiamina foi adicionado para o desenvolvimento e ácido sulfúrico 2N para parar o de desenvolvimento. A absorvância a 490 nm foi medida com leitor de ELISA a 490 nm. ROS Assay Quantificação de citosólica ROS foi medido por método de oxidação de 2', 7'-dichlorofluroscein diacetato- (DCF-DA), conforme descrito em outro lugar


5)12,5 M DCFDA foi incubada com o fígado, baço, pulmão, ou cérebro homogeneizado e mudança de fluorescência foi medida em 485 nm de comprimento de onda de excitação e 585 nm de emissão comprimento de onda. A unidade relativa de fluorescência (RFU) foi calculado para um mg de proteína homogeneizada.


3. Resultados

Efeito da ARW no crescimento do tumor eo tempo de sobrevida O crescimento do tumor foi significativamente reduzida nos grupos alimentados com ARW. Após dias 10 de injeção subcutânea de B16 células de melanoma em camundongos flanco de C57BL / 6, a massa do tumor era palpável e, posteriormente, medidos em série. Em 10 dias o tamanho do tumor foi de0,27 centímetros grupos alimentados com ARW, enquanto que o grupo alimentado com água de torneira foi 0,48 centímetros. Em 19 dias, o tamanho do tumor foi de 3,32 centímetros para grupos alimentados com ARW, e 6,02 centímetros ara o grupo controle, mostrando inibição de 54%.A Taxa de sobrevivência também foi monitorada após intraperitoneal injeção de células de melanoma B16 em camundongos C57BL / 6. O grupo alimentado com ARW obteve um acréscimo de 44 dias de sobrevivência, enquanto o grupo controle somente 36 dias.

Avaliação da atividade anti metastática de ARW em metástase pulmonar de B16.

Após a injeção intravenosa de células de melanoma B16 para camundongos C57BL / 6 pela veia da cauda, ​​a atividade anti metastáticade ARW foi avaliada. 15 dias após a injeção, os ratos foram sacrificados. Seus tecidos de pulmão foram retirados e as lesões metastáticas foram comparados. O grupo alimentado com ARW tinham menos lesões metastáticas. 257 colônias Negras foram contada nos pulmões do grupo alimentado com ARWe 145 pontos negros foram mostrados no grupo controle, indicando 44% inibição contra a metástase de células de melanoma. Como a célula de melanoma é mostra o aumento do estresse oxidativo, que poderia apoiar a progressão da concentração de metástase, os ROS também foram medido para cada órgão do melanoma. B16 foi injetado em ratos usando DCFH-DA (Fig. 1).  Quantidade de ROS de pulmão, fígado, rim e foram muito baixos nos ratos alimentados com ARW comparada com a de controle. No entanto, o baço, o que é um órgão importante para a imunidade, mostra ROS muito alta em grupos alimentados com ARW. Isto pode sugerir que o sistema imunitário impulsiona os efeito da ARW. Fig. 1.


Efeito da ARW sobre ROS. Limpeza em camundongos. Avaliação de imuno-modulaçãodos efeito da ARW. Ingestão de ARW invoca citocinas sistêmicas, tais como, Th1 (IFN- IL-12), citocinas da imunidade celular e Th2 (IL-4, IL-5), citocinas da imunidade humoral (Fig. 2).  Isto sugere que ARW estimula tanto o sistema celular como imunidade humoral. Th1 e Th2 atingiram pico Maximo atingido após duas semanas de alimentação com a ARW e depois retornou à linha de base. Os níveis de Citocinascom o grupo controle permaneceu na linha de base.


4. DISCUSSÃO

Recentemente, a água eletrolisada reduzida com pH elevado e redox negativo foi prova do que têm de SOD e catalisticas e assim, pode limpar e proteger o DNA dos danos causados por Radicais Livres e ​​pelos radicais de oxigênio in vitro.  Se a ARW realmente age como antioxidantes e protege o DNA de danos, pode ser que a hipótese de que a ingestão de ARW mostram efeito anti câncer. Presente investigação demonstra o efeito anti câncer da ARW. Ingestão ARW desacelerou o crescimento do tumor, e inibiu a metástase por via intravenosa, levando a tempo de sobrevivência prolongada no B16 camundongos injetados com melanoma. B16 de células de melanoma é um dos tumores mais freqüentes em seres humanos e é caracterizada por sua alta capacidade de invasão e metástase 6, 7) Eles escapam imunes da  vigilância e se espalham mais rapidamente do que qualquer outro tumor usando vários mecanismos, incluindo MHC-down regulação, aumento dos niveis de ROS, e assim, acelerar a progressão da metástase.


Nosso estudo demonstrou que ARW não só atua como um antioxidante, mas também atua como um forte imunuo-modulador, ambos os quais poderiam ser responsáveis ​​pelo efeito anti câncer. Assim, a ARW é indicada por ser eficaz contra várias doenças decorrentes da baixa imunidade e / ou contra altos níveis de ROS, bem como para a prevenção do câncer. ARW não só tem pH alto e ORP baixo, mas também contem alguns íons de magnésio. Recentemente, magnésio foi demonstrou ser eficaz para a prevenção de várias doenças.


Não podemos excluir a possibilidade de que o magnésio em ARW pode ter contribuído para o efeito anti câncer. Água atinge todos os tecidos do corpo humano dentro de 30 minutos depois de beber. Ele ainda flui através do cérebro do sangue barreira com nenhum obstáculo, e tem quase nenhum efeito lateral. Tomando ARW poderia ser uma maneira ideal para manter a saúde.


Referências


1) Feig, DI, Reid, TM, e Loeb, LA: reativas de oxigênio Espécies na tumorigênese, Res Câncer, 54:. 1890-1894, 1994.


2) Reid, TM e Loeb, LA: Especificidade mutagênico de Radicais de oxigênio produzidas pelas células de leucemia humana. Cancer Res, 53:. 1082-1086, 1992.


3) Kim, HW: Definição A razão de todas as doenças, de Oxigênio ativo, "Água O Melhor para o corpo humano", 60-62, Seul, Seojiwon imprensa, 2002.


4) Shirahata, S., Kabayama, S., Nakano, M., Miura, T., Kusumoto, K., Gotoh, M., Hayashi, H., Otsubo, K., Morisawa, S., e Katakura, Y.: electrolyzed reduzida Água Elimina espécies ativas de oxigênio e protege o DNA de Dano oxidativo.

Biochem.Biophys. Res. Commun, 234.: 269-274, 1997.


5) Kim, SH, HJ, C., Kang, DH, Song, GA, Cho, M., Yang, EUA, Kim, HJ, e Chung, HY NF-kBvinculativo

atividade e expressão da ciclooxigenase-2 em persistente . CCl4 tratados com lesão de fígado de rato J MedSciKor, 17: 193-200, 2002.


6) Hofmann, UB, Westphal, JR, Van Muijen, GN, e Ruiter, DJ Matrix metaloproteinases em melanoma humano. J InvestDermatol, 115: 337-344, 2000.


7) Shah, AH, Tabayoyong, WB, Kundu, SD, Kim, SJ, Parijs, LV, Liu, VC, Kwon, E., Greenberg, NM, e Lee, C. Supressão de metástase do tumor pelo bloqueio de fator de crescimento transformador de sinalização em células da medula óssea.


Água antioxidante pode ajudar a prevenir o câncer
http://www.aguaalcalinario.com.br/wp-content/uploads/2013/10/cancer.jpgO estresse oxidativo ocorre na presença de excesso de radicais livres nas nossas células. Radicais livres são moléculas liberadas pelo nosso metabolismo com elétrons extremamente instáveis e que reagem com as células, danificando-as. Isto leva a danos na membrana das células, oxidação das proteínas, da gordura e DNA da célula e da mitocôndria (1).
    Apesar de termos sistemas de defesas antioxidantes nas nossas células, estes não são suficientes para evitar o dano oxidativo que ocorre ao longo do tempo, que é nocivo e que apresenta papel fundamental no desenvolvimento de diversas doenças, tais como câncer, doenças neurodegenerativas, artrites, aterosclerose, entre outras doenças (2).
    Os efeitos danosos dos radicais livres podem ser contrabalanceados pelos nossos sistemas de defesas antioxidantes, ou seja, as enzimas antioxidantes naturais ao nosso corpo e pela ingestão de alimentos e do consumo de água antioxidante (3).
    Deve ser lembrado que os radicais livres também têm um papel positivo, atuando no combate a inflamações, matando bactérias, e controlando o tônus dos músculos lisos.
    Dessa forma, apenas o excesso de radicais livres que é nocivo e leva a doenças.
    Atualmente, mais de 100 produtos da oxidação por radicais livres do DNA já foram identificados peloscientistas e estão publicados em revistas científicas, todos danificando o DNA, causando problemas no seu funcionamento e associados com câncer (4, 5).
   O cigarro está muito associado ao câncer pelo fato de aumentar em 35 a 50% o dano oxidativo do DNA. No mesmo estudo também foi demonstrado como uma dieta adequada e atividade física moderada diminuem o estresse oxidativo no nosso corpo (6).
   Além do dano no DNA do núcleo da célula e da mitocôndria, o estresse oxidativo atrapalha a comunicação entre as células (1, 7, 8). Isto acaba levando a formação de produtos inflamatórios. Este excesso de inflamação faz com que alguns genes cancerígenos sejam hiperestimulados, o que leva ao câncer. Este mecanismo já foi demonstrado em câncer de mama, pâncreas, bexiga, de cabeça e pescoço e câncer coloretal (9).
    Assim, o estresse oxidativo na geração de câncer já foi amplamente estudado, o que demonstra a sua importância na 2ª doença que mais mata no mundo inteiro e a importância de se realizar prevenção com uma dieta adequada, beber água antioxidante, hábitos de vida saudáveis, como atividade física e não fumar.
   Para evitar o estresse oxidativo também é necessário evitar alguns fatores ambientais que geram radicais livres que levam a oxidação. Existem diversas fontes de excesso de radicais livres, que são nocivas à nossa saúde, entre elas substâncias oxidantes presentes em alimentos e bebidas (aditivos químicos, conservantes, adoçantes, etc.).
   Portanto, para quem quer levar uma vida saudável, com menores danos relacionados aos radicais livres, deve evitar líquidos e alimentos industrializados com aditivos químicos, conservantes e adoçantes e deve preferir alimentos naturais e a ingesta de água.
Mas qual água se deve beber?
    A maioria das águas ingeridas no Brasil e no mundo, tais como água da torneira, água engarrafada ou água filtrada em filtros comuns tem potencial de oxirredução positivo, ou seja, são oxidantes.
   Pensando na sua saúde, pesquisadores no Brasil desenvolveram um filtro que reduz o potencial de oxirredução, tornando a sua água levemente antioxidante, auxiliando o seu corpo a se proteger dos danos dos radicais livres.
   Portanto para manter a sua saúde e diminuir o dano do estresse oxidativo você não deve fumar, deve comer de preferência alimentos naturais e orgânicos, evitando alimentos e líquidos industrializados, você deve praticar atividade física e beber todos os dias água antioxidante.

Referências Bibliográficas
1-      G. Poli, G. Leonarduzzi, F. Biasi, E. Chiarpotto, Oxidative stress and cell signalling, Curr. Med. Chem. 11 (2004) 1163–1182.
2-      B. Halliwell, J.M.C. Gutteridge, Free Radicals in Biology and Medicine, 3rd ed., Oxford University Press, 1999.
3-      B. Halliwell, Antioxidants in human health and disease, Ann.Rev. Nutr. 16 (1996) 33–50.
4-      L.J. Marnett, Oxyradicals and DNA damage, Carcinogenesis 21 (2000) 361–370.
5-      M.S. Cooke, M.D. Evans, M. Dizdaroglu, J. Lunec, Oxidative DNA damage: mechanisms, mutation, and disease, FASEB J.17 (2003) 1195–1214.
6-      H. Kasai, N. Iwamoto-Tanaka, T. Miyamoto, K. Kawanami, S. Kawanami, R. Kido, M. Ikeda, Life style and urinary 8-hydroxydleoxyguanosine, a marker of oxidative DNA damage: Effects of exercise, working conditions, meat intake, body mass index, and smoking, Jpn. J. Cancer Res. 92 (2001) 9–15.
 7-    V.J. Thannickal, B.L. Fanburg, Reactive oxygen species in cell signaling, Am. J. Physiol. Lung Cell. Mol. Physiol. 279 (2000) L1005–L1028.
 8-      H.J. Palmer, K.E. Paulson, Reactive oxygen species and antioxidants in signal transduction and gene expression, Nutr. Rev. 55 (1997) 353–361.
 9-      P.P. Simeonova, M.I. Luster, Arsenic carcinogenicity: relevance of c-Src activation, Mol. Cell. Biochem. 234 (2002) 277–282.

___________________________________________________________________



MANUAL DO IONIZADOR

1- Introdução

2 - Características da Água Ideal

3. - Novo Conceito em Tratamento de Água

4- Refrigerante, Água Mineral e Sucos.

5 - Características do Ionizador Habitah Fresh da Acqualive Group

5.1- Purificação

5.2 – Porque o Filtro da Acqua Live é o Ideal para se beber?

5.2.1- Explicações a cerca do Filtro (Publico em geral)

5.2.2- Revisão da Literatura (Explicações para profissionais da área médica).

6- Conclusão

7- Referências Bibliográficas

1-    Introdução:


    Nosso Corpo é Formado por 70% de água, 20% de matéria orgânica e 10% de minerais. A qualidade da água é de extrema importância para a nossa saúde. Infelizmente hoje temos acesso apenas à água de baixa qualidade ou contaminada. Isto está contribuindo para o aumento de doenças no mundo inteiro.


   De acordo com estatística do IBGE e do Ministério da Saúde, 75% dos atendimentos hospitalares tem como caua doenças de origem hídrica.

Assim como existe um novo conceito em Termos de Alimentos Funcionais, hoje existe um novo Conceito sobre a Água Funcional.

2- Característica que a Água Ideal deve ter:

A água ideal deve ter seis características:

1-    Pureza

2-    pH alcalino

3-    Boa condutibilidade elétrica

4-    Potencial de Oxirredução reduzido

5-    Baixa Tensão Superficial

6-    Ter uma boa combinação de minerais


3- Existe um Novo Conceito Mundial

A água deve ser tratada dentro da residência do consumidor final porque:

- É importantíssimo o tratamento químico da água de poço ou dos rios e lagos por estações de tratamento da água, pelas empresas públicas. Porém nesta água é colocado muito cloro e fluoreto para eliminar as bactérias. Este cloro e demais químicos tem que ser retirado antes do consumo domiciliar da água. As estações de tratamento como a da Cosanpa devem ser considerados como pré tratamento e não como único e final tratamento da água.

- Todas as águas dos nossos rios e aquíferos subterrâneos estão contaminadas com matéria orgânica nocivas como Amônia, Arsênio, Nitratos, etc. deixando-as ácidas e não potáveis, além da presença em excesso do ferro, dos metais tóxicos como Chumbo, Alumínio, Mercúrio presente nos pesticidas e nos despejos dos rejeitos industriais. Estes problemas não são corrigidos nas estações de tratamento.




- Além disso, os canos danificados e antigos das ruas, das casas e dos condomínios, caixas dágua extremamente sujos contaminam a água. Muitas pessoas se esquecem de lavar as caixas d’água todos os meses. A falta da água adequada para a saúde é um problema não só do Brasil, especialmente na região metropolitana de Belém. É um problema Mundial.


- Usando o Ionizador Habitah Fresh da Acqualive Group dentro da sua casa é possível eliminar todos estes problemas, além de adicionar saúde a sua água.


4- Refrigerantes, Água Mineral e Sucos

   A água utilizada na produção de refrigerantes e cervejas na maioria das vezes provém de tratamento por Osmose Reversa, isto é, todos os minerais são retirados da água. É o que chamamos de Água Morta. Não existe Vida em Água Morta. Isto gera osteoporose. O pH do refrigerante e cerveja são ácidos, o que gera mais osteoporose. Água de Osmose Reversa não é apropriado para seres vivos, nem para humanos. É feito para farmácias, laboratórios e uso industrial.

   Água Mineral é engarrafada em embalagem plástica. Embalagens plásticas são feitas a partir de petróleo e são ricas em xenoestrógenos e bisfenol A, que são venenos para a Nossa saúde. Além disso, altera o sabor da água e cada embalagem gera um impacto ambiental enorme. Muitas águas no mercado são ácidas ou apresentam excesso de sódio, o que gera muita retenção de líquidos.

   Nos Estados Unidos alguns colégios passaram a dar apenas sucos de fruta para as crianças, com o objetivo de melhorar a qualidade dos líquidos ingeridos. Para espanto geral as crianças começaram a engordar excessivamente e apresentar fígado gorduroso. Descobriu-se então que o ser humano não sabe lidar com a frutose, açúcar da fruta. A fruta é extremamente saudável, desde que ingerida em natura, pois apresenta vitaminas, minerais e principalmente fibra, que é o antídoto da frutose. Quando se extrai o suco da fruta, retira-se toda a fibra dela. Portanto o suco de fruta não é um bom líquido para ser ingerido! É possível tomar suco de fruta, mas este não deve ser o líquido predominante. O líquido predominante a ser ingerido é Água Alcalina Mineralizada (ionizada). Quando optar por suco, dê preferência para aqueles que têm menos frutose, como o de limão e lima. De preferência também prepara-los com água alcalina ionizada.


5- Características do Ionizador:

5.1-         Pureza: Propriedades de Purificação da Água:


Possui certificação Máxima do Inmetro em Termos de Purificação

Apresenta Filtro P1 – retém impurezas que variam de tamanho de 0,5 a 1 micrômetro, a melhor especificação do mercado.

Eliminação quase total do cloro. Lembrando que o cloro é muito prejudicial para a saúde. Causa hipotireoidismo, é extremamente oxidante, corrosivo, danifica o sistema circulatório, altera o sabor da água e dos alimentos e é uma substância altamente cancerígena.

Propriedade Bacteriológica aprovada, o que é uma enorme segurança para a sua saúde.


A grande maioria dos filtros do mercado não tem a certificação máxima do Inmetro e muitos retém muito pouco cloro e apresentam propriedade Bacteriológica “não se aplica”.

Diminuição de metais pesados como chumbo, alumínio e mercúrio, dos altamente tóxicos flúor e cloro, entre outros elementos lesivos a saúde do sistema nervoso, imunológico e circulatório, por exemplo. Nos países europeus, a fluoretação da água foi banida, pois o benefício da prevenção da cárie não compensa os malefícios à saúde. Nem mesmo a quantidade recomendada de 0,45 ppm (partícula por milhão) por mililitro de água é segura. No Brasil chega a se adicionar quantidades superiores a 1,5 ppm.

    

5.2           – Porque o ionizador provê a água Ideal para se beber?


Todos os filtros do mercado fazem apenas a purificação em maior ou menor grau. O ionizador  Acqua Live além de ter certificação máxima para purificação, deixa a água com pH alcalino, boa condutibilidade elétrica, com potencial de oxi-redução, com baixa tensão superficial e rico em magnésio. Portanto, o ionizador da Acqua Live produz Água Alcalina Ionizada. Porque isto é tão importante?

5.2.1- Explicação acerca do Ionizador (Publico em geral):

- Água alcalina facilita a eliminação de toxinas ácidas do organismo. Todas as toxinas produzidas no nosso organismo são ácidas. Portanto, as toxinas ácidas se aderem melhor à água alcalina do que a água ácida, o que facilita a sua eliminação, o que desintoxica o organismo.


- Quase a totalidade dos líquidos que ingeridos são ácidos. Se o pH do sangue baixar de 7,4 para 7,3 ocorre a perda de 70% da oxigenação do sangue. Para que isto não ocorra é necessário retirar minerais dos ossos – isso gera osteoporose.


- Água ionizada alcalina da Acqua Live é enriquecida com minerais Magnésio, Cálcio e Potássio. Para se levantar um braço é necessário que a água do corpo tenha minerais para conduzir eletricidade do córtex cerebral ao músculo. Quando a água é pobre em minerais, para que aja condução da eletricidade, é necessário retirar mais minerais dos ossos. Isto leva a mais osteoporose.


- É Antioxidante - Um dos processos de envelhecimento do nosso corpo é por radicais livres. Radicais livres precisam captar elétrons para se reduzir. Quando captam elétrons de outras estruturas, estas ficam com menos elétrons e também se tornam radicais livres, gerando um efeito cascata. Quando a substância precisa captar elétrons chamamos que ela tem um REDOX (potencial de oxi- redução) + (positivo). A maioria dos líquidos ingeridos tem um REDOX + e funcionam como radicais livres. A água alcalina tem Redox reduzido e funciona como antioxidante natural.


    


- Existem estudos que sugerem que muitas doenças que pioram muito com Radicais Livres (Estresse Oxidativo) como Diabetes, Doença Neurodegenerativa (Parkinson, Alzheimer, etc), Aterosclerose, entre outras doenças podem apresentar melhoras com a Água Alcalina Ionizada com REDOX Reduzido.


    


- Outros estudos relacionam o Uso de Água Alcalina Ionizada a Melhora de Sintomas Gastrointestinais, tais como, Diarreia Crônica, Azia, Gastrite e Constipação além de ser uma Facilitadora no Emagrecimento. Como já dito anteriormente, Melhora e Previne de Osteoporose.


- 70% do nosso corpo é formado de água e 100% das nossas células tem água. Dar uma água de boa qualidade para seu corpo irá melhorar a sua saúde.

 5.2.2 Revisão da Literatura (Explicação para profissionais da área saúde)


    No Japão, pesquisa sobre água funcional, está se desenvolvendo rapidamente. A água alcalina ionizada reduzida, com potencial de oxirredução (ORP) reduzido, é capaz de diminuir os radicais livres em células cultivadas.

Existe uma expectativa que a água alcalina reduzida previna e tenha efeitos positivos em doenças relacionadas a estresse oxidativo, como diabetes, aterioesclerose, doenças neurodegenerativas e até em câncer. Tem se sugerido que o agente ativo na água reduzida seja o hidrogênio (átomo e moléculas), nanopartículas minerais e hidretos minerais de nanopartículas.

De janeiro de 1996 a janeiro de 1999 foi conduzido um estudo duplo-cego sobre o efeito da água alcalina ionizada em pacientes com sintomas de azia, distensão abdominal, diarreia crônica e constipação.


O número de pacientes no grupo da água alcalina ionizada foi de 84 e 79 no grupo de água purificada. Os pacientes tomavam por 2 semanas  água com pH de 9,5 ou água purificada. Demonstrou-se que no grupo da água alcalina houve uma melhora significativamente maior nos sintomas do que na água purificada. No grupo de diarreia crônica a melhora no grupo da água alcalina foi de 94,1% enquanto na água purificada foi de 64,7%. 1

Mecanismo de Ação da água alcalina reduzida contendo hidrogênio e nanopartículas minerais com a capacidade de diminuir Radicais Livres.

Estudos clínicos sugerem que a água reduzida melhora o estresse oxidativo relacionado a doenças. 2  Shirahata e cols demonstraram que a água reduzida diminui os radicais livres e inibem o dano in vitro da lesão do Radical Livre no DNA. 3


Efeito Antidiabético da Água Alcalina Reduzida:


De acordo com um estudo de Saúde e Nutrição de 2007 existem 22,1 milhões de pessoas diabéticas no Japão, cerca de 1/6 de toda a população. Diabetes é preferencialmente classificada em 2 tipos: Diabetes tipo 1 (insulina dependente) e Diabetes tipo 2 (não insulino dependente causado por dano oxidativo nas célula beta pancreáticas devido ao ataque de células imunológicas). Diabetes tipo 2 é associado ao dano oxidativo da células musculares e adipócitas devido a estresse, hiperfagia e falta de exercício.

Tem sido demonstrado que a água alcalina reduzida (ORP reduzido) é capaz de diminuir a ação de radicais livres intracelulares nas células beta pancreáticas de Hamster, o que elevou consideravelmente a secreção de insulina.  4, 5, 6, 7


A água alcalina reduzida eliminou os Radicais livres nas células musculares de ratos e aumentou a captação de glicose por estas células. 8


A água alcalina reduzida também promoveu a fosforilação do receptor de insulina pela supressão da atividade da proteína tirosina fosfatase, que é redox sensível e é ativada pela PI3 kinase, assim como provomeu a translocação do transportador de açúcar GLUT 4 para a membrana da célula o que gera aumento na captação de glicose. 9


Esta água também diminuiu tolerância a glicose em ratos com diabetes tipo 2.10,11 Água reduzida derivada da água da torneira também melhorou o sintoma de diabetes em ratos. 12, 13,14


Um estudo clínico em humanos demonstrou que 45% de 411 pacientes com diabetes tipo 2 (idade média de 71,5 anos) que tomaram 2 litros de água reduzida diariamente por 6 dias apresentaram diminuição significativa da glicemia e HbA1. Esta diminuição se manteve no longo prazo.  Além disso, o colesterol total, LDL e creatinina diminuíram significativamente, enquanto que HDL aumentou significativamente. 15,16


No Central Hospital in Jilin Cangchun na China foi realizado um estudo com 65 pacientes com diabetes e 50 pacientes com dislipidemia que tomaram 2 litros de água alcalina ionizada por 2 meses. Houve uma diminuição significativa da glicemia em 89% dos pacientes com diabetes. Além disso, houve diminuição significativa do triglicerídeo e colesterol total em 92% dos pacientes. 17


Foi realizado um estudo duplo cego na Universidade de Hiroshima entre Novembro de 2008 e Setembro de 2009 com 100 pessoas que tomaram 2litros de água alcalina diariamente. Foi encontrado melhora dos níveis de glicose, pressão

arterial, colesterol total, LDL e aumento significativo nos níveis de leptina e melhora da constipação.18

Função do Magnésio na Água

O magnésio é mais abundante em rochas que no solo.  O solo brasileiro é sabidamente pobre em rochas que contenham  magnésio, mais comum em terras vulcânicas. Isto se reflete no lençol freático, o que reflete na ingestão de magnésio. 19,20

O magnésio é fundamental na estabilização da formação dos nucleotídeos para a estrutura helicoidal tridimensional do DNA, condição básica para a duplicação ou replicação da célula. 21 Para transcrever o DNA através do RNA mensageiro e converter esta informação em uma sequência de aminoácidos (formação da proteína) também é fundamental a presença do magnésio.

Nos organismos complexos o magnésio se destaca pela potencialidade de ativar reações químicas em praticamente todos os metabolismos, tais como as de hidrólise, de gorduras, de proteínas, ácidos nucléicos, síntese de coenzimas, contração muscular e transferência de radicais metila. Estas reações perdem a eficiência caso o magnésio não esteja suprido no sistema vivo.

Além das enzimas acima citadas, vale lembrar a fosfatase alcalina, necessária a construção do esqueleto e as peptidases com função fracionadora de proteínas. O magnésio ativa cerca de 350 enzimas no organismo.

O magnésio tem uma relação muito estreita com os outros minerais nutrientes, existentes em forma iônica no organismo (eletrólitos), tais como o sódio, potássio, cálcio, cujas bombas iônicas são magnésio dependentes. Portanto uma baixa de potássio (hipocalemia) pode ser secundária a baixa de magnésio (hipomagnesemia).

O magnésio também exerce função como mensageiro, ou seja, transmite instruções dos hormônios para as membranas celulares para processar efeitos fisiológicos no interior da célula. 22,22

É consensual admitir que a entrada dos minerais pela água na cadeia alimentar seja a hipótese mais convincente para explicar a correlação com a mortalidade cardiovascular dos habitantes de áreas cujos solos têm composição geoquímica rica ou deficiente em magnésio. 24

É surpreendente a longevidade dos Hunzas, povo do Paquistão Ocidental, que exibe excelente estado de saúde, além do aumento da expectativa de vida em virtude do hábito de ingerir um a suspensão aquosa de minerais extraído de certas rochas. Esta bebida proporciona aos Hunzas reserva extra de minerais, com predominância de magnésio na sua provisão alimentar. 25

Estudos da correlação de certas doenças com os tipos de solos em que vivem as diversas populações do mundo têm apontado que os solos não lixiviados e não esgotados pela ação das chuvas que absorvem minerais, principalmente o magnésio provindo da decomposição das rochas ígneas ou metamórficas, corresponde às áreas de menor incidência de doenças cardio e cerebrovasculares.

É evidente que o aspecto importante do estudo é a ênfase da entrada de minerais na cadeia alimentar humana, por meio da água, que eventualmente, pode corrigir carências do magnésio nas regiões de alta morbi-mortalidade cardiovascular.

Kobayashi foi o primeiro investigador a sugerir uma correlação entre o efeito protetor do magnésio em derrames cerebrais. 26

Estudos na Finlândia evidenciaram que regiões de solo pobre em magnésio continham alta incidência de mortalidade cardiovascular, inclusive arritmias e morte súbita. Entretanto quando os finlandeses emigravam para outros países, acabavam alcançando uma expectativa de vida acima da média. Houve então uma recomendação da Saúde Pública Finlandesa de acrescentar potássio e magnésio no sal, o que teve um resultado surpreendente, revertendo consideravelmente o alto índice de doença cardiovascular no país.27

Os estudos epidemiológicos da correlação do solo pobre e água doce escassa em magnésio abriram o cenário para a conscientização preventiva do problema, que não depende só da alimentação, mas envolve o meio ambiente e a composição geoquímica da água própria da região em que se vive.

Levando em conta estes estudos epidemiológicos, o Conselho Nacional de Pesquisas dos EUA (National Research Council) recomenda a ingestão diária de 25 a 42 mEq, ou 300 a 500mg/dia de magnésio.

No tocante da medicina preventiva, Schroeder foi um dos principais autores a atribuir a carência de magnésio o risco de doenças crônicas graves, sobretudo a aterosclerose. 28

O processo de refinamento de alimentos elimina 80% do magnésio da farinha de trigo, 83% do arroz branco, 99% no açúcar refinado extraído do melado e 97% do amido refinado do milho. 28

Repetidos levantamentos das taxas de magnésio da dieta ocidental apontam um déficit que tem sido correlacionado com a doença cardiovascular endêmica, também associada ao baixo teor de magnésio na água potável.29

No Brasil as doenças cardiovasculares e cerebrovasculares são endêmicas. Há correspondência desta alarmante estatística com a deficiência de magnésio em 90% do solo brasileiro, segundo estudos geoquímicos nacionais. Estudos de Velloso revelaram um nível muito baixo de magnésio na urina na grande maioria da população estudada nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.20

Hábito alimentar com excesso de cálcio contribui para o déficit de magnésio. O excesso de gorduras e produtos açucarados são fatores que reduzem a absorção de magnésio. O frequente uso de bebidas alcoólicas também aumenta a perda urinária de magnésio.  O índice cálcio magnésio alimentar brasileiro pode variar de 5 a 9. Ao contrário, no Japão, cujo solo vulcânico é rico em magnésio, o índice Cálcio/magnésio é de 1,2, a prevalência de doença cardiovascular é muito menor, a ponto dos infartos serem algo incomum no país. 30

É evidente a correlação entre a incidência de mortalidade por doenças cardiovasculares e a relação cálcio/magnésio na dieta de cada país. Vale ressaltar que a Finlândia, que apresentava a maior incidência de óbitos em 1977, reduziu consideravelmente esse índice com a mudança dos hábitos alimentares: adoção do sal composto com o magnésio.

Estes fatos apontam para a realidade de que o organismo humano, assim como uma planta, depende do meio ambiente em que vive, envolvendo o ar, o solo, a água e os componentes da cadeia alimentar.

A concentração de magnésio pode influenciar o fluxo sanguíneo, a pressão arterial e a reatividade vascular. O aumento de magnésio produz vasodilatação e hipotensão arterial e a falta de magnésio produz hipertensão e aumento da resistência vascular. 31

Metabolismo do magnésio no Homem

Cerca de 60% do magnésio está nos ossos e 29% do magnésio está nos músculos. Apenas em torno de 1% está no tecido extracelular. Em face do magnésio sérico não representar 1% do magnésio total do organismo, a normalidade do magnésio no exame do soro pode coexistir com acentuado déficit de magnésio no organismo e não é o exame ideal para a avaliação clínica.

Cerca de 30% do magnésio do sangue está ligado a proteína e o restante constituem uma forma ionizada, que aparentemente exerce a função biológica.

Como a concentração maior de magnésio é intracelular, uma das formas de análise é o teor nas hemácias, que varia de 4,4 a 6 meq/L.

A dieta ocidental é pobre em magnésio. Nos Estados Unidos o consumo de magnésio é de 240mg a 480mg/dia, 32 sendo que no Brasil a ingestão é mais deficiente segundo Velloso. 20

A alta ingestão de alimentos refinados, a alta ingestão de gorduras e o excesso de sal e açúcar na alimentação, além de bebidas alcoólicas e principalmente refrigerantes do tipo cola, reduzem a absorção de magnésio.

O problema do solo brasileiro, pobre em magnésio, dificilmente poderá ser corrigido de forma adequada, de modo que os alimentos, tanto de origem vegetal, como animal, apresentam uma deficiência básica de magnésio.

O ideal seria que a água mineral contivesse pelo menos 25mg/litro de magnésio, sendo que alguns autores defendem a concentração de 100mg/Litro de magnésio em regiões muito deficientes, como o Brasil. Nenhuma fonte de água mineral no Brasil apresenta sequer a concentração mínima de magnésio recomendada de 25mg/litro em função da composição geológica do solo brasileiro.

O homem paleolítico consumia cerca de 800 a 1500mg/dia de magnésio. A alta ingestão de magnésio correspondia à quantidade equivalente de cálcio cuja relação era de 1 cálcio para 1 magnésio.

O homem contemporâneo absorve de 5 a 15 vezes mais cálcio que magnésio, o que resulta em sérios problemas de saúde. 33

Outro agravante é a relação sódio potássio. Enquanto o homem paleolítico ingeria 5x mais potássio que sódio, o homem contemporâneo ingere 5x mais sódio que potássio.  É sabido que o homem paleolítico  não sofria de muitas doenças degenerativas, que são o flagelo do homem contemporâneo.

Segundo publicação da Organização Mundial de Saúde de 2009 34 baixos níveis de magnésio estão associados à disfunção endotelial, aumento de reações vasculares, aumento da Proteína C Reativa e diminuição da sensibilidade à insulina. A deficiência crônica de magnésio está associada à hipertensão, doença coronariana, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica. 34

Revisando a Fisiologia dos Minerais no Guyton & Hall (2011)35, apesar de semelhantes nas suas propriedades químicas, o Mg++ e o Ca++ tem funções biológicas opostas, que se completam.

O cálcio se situa no exterior celular, ao passo que o magnésio está predominantemente localizado no interior. O cálcio excita os nervos, enquanto o magnésio acalma a tensão nervosa. O cálcio junto com o potássio promove a contração muscular, enquanto o magnésio relaxa e descontrai a musculatura.

O cálcio é fundamental para o processo de coagulação sanguínea, enquanto o magnésio previne a coagulação intravascular, que pode representar um alto risco para o organismo.

O Cálcio é mais abundante no tecido ósseo, ao qual confere a dureza característica, ao passo que o magnésio se localiza nos tecidos moles. Entretanto, a matriz óssea encontrada no interior dos ossos contém proteína e magnésio, que proporciona aos ossos flexibilidade e resistência à fraturas.

A concentração do íon magnésio no interior celular é 10.000 vezes maior que a do íon cálcio em condições normais. Quando há queda de magnésio no interior a célula, os íons de cálcio penetram no interior celular provocando sérios distúrbios.

Um sério abalo no meio intracelular pode ocorrer quando o teor de cálcio aumenta e desencadeia uma reação, que põe a célula em estado de excessiva excitação.

A recomendação de cálcio para mulheres acima de 40 anos falha em um ponto crucial. Altos níveis de cálcio podem tornar os ossos mais frágeis e a ingestão de cálcio sem magnésio pode levar à deficiência adicional de magnésio.

Para gerar contração muscular, o cálcio que se localiza fora da célula (espaço extracelular), precisa entrar na célula através dos canais de cálcio. Após o cálcio precisa ser imediatamente removido, sob a pena de sérias alterações, tanto da função como da integridade celular. A remoção do cálcio é magnésio dependente.  O excesso de cálcio no interior das células da musculatura lisa da coronária pode gerar dor torácica, na artéria temporal superficial gera enxaqueca, no canal do colédoco, cólica biliar, no ureter, cólica renal e na musculatura lisa dos brônquios, asma. Para isto a indústria produziu vários antagonistas do canal de cálcio. Esqueceram que o magnésio é o antagonista natural do cálcio.

A deficiência de magnésio também pode causar distúrbios do ritmo cardíaco, alguns tipos de arritmias.

Schechter em 1999 comprovou que a suplementação com magnésio inibiu trombose plaqueta dependente.36 A longo prazo, com excesso de cálcio as artérias enrijecem e desenvolvem a formação de placas em virtude do aumento de LDL. Isto acelera o dano do endotélio e pode formar trombo ou coágulo o que leva a infarto ou AVC.

Quando o magnésio está com bons níveis intracelulares: 37

- tem ação antioxidante, protege as moléculas dos radicais livres.

- ao nível enzimático há suficiente produção de ATP.

- no nível celular o balanço eletrolítico é mantido, com os ajustes dos íons cálcio, sódio, potássio e magnésio dentro dos parâmetros normais, sem haver calcinose (excesso de cálcio).

- no nível tissular: o sangue flui sem obstáculos e sem tendência à formação de coágulos.

- No nível orgânico: o magnésio promove o bombeamento do sangue, de forma contínua e regular, alternando a sístole e a diástole sem palpitações ou arritmias.

6- Conclusão

O consumo de água deve ser estimulado pela comunidade médica. O abuso de refrigerantes, pobre em minerais e com pH extremamente baixo tem levado a sérios problemas de saúde. As águas minerais que tomamos são pobres em magnésio e vem contaminadas com xenoestrógenos e bisfenol, derivados do plástico, que são derivados do petróleo e que são altamente tóxicos para consumo.

Estudos com sucos demonstraram que a frutose ingerida em alta quantidade sem a fibra, provoca esteatose hepática e engordam.

A água tratada que recebemos em casa vem com sujeira dos canos das ruas e das residências, além de terem muito cloro e flúor que são tóxicos, produzem hipotireoidismo. Enquanto o cloro está associada a diversas doenças, inclusive câncer, o flúor é considerado um carreador de metal tóxico para o cérebro levando a  doenças neurodegenerativas.

Mas, qual água devemos consumir?

A Acqua Enterprise desenvolveu o Filtro Acqua Live que apresenta a certificação máxima do Inmetro em termos de purificação, diminui mais de 98% do cloro, reduz flúor, metais tóxicos e impurezas da água. Além disso, o Acqua Live produz água alcalina ionizada, que tem sido relacionado em laboratório e em estudos clínicos com uma melhora de doenças relacionadas ao estresse oxidativo, além de ter um poder de hidratação superior e atender a demanda por magnésio, que é extremamente carente no nosso país.

7- Referências Bibliográficas:


1-      Tashiro, H., Kitahora, T., Fujiyama, Y., & Banba, T. (2000). Clinical evaluation of alkali-ionized water for chronic diarrhea e placebocontrolled double-blind study. Digestion & Absorption, 23, 52e56.


2-      Hayashi, H., & Kawamura, M. (2002). Clinical application of electrolyzed-reduced water. In S. Shirahata, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 12 (pp. 31e36).Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


3-      Shirahata, S., Kabayama, S., Nakano, M., Miura, T., Kusumoto, K.,Gotoh, M., et al. (1997). Electrolyzed-reduced water scavenges active oxygen species and protects DNA from oxidative damage.Biochemical and Biophysical Research Communications, 234,269e274.


4-      Li, Y.-P., Hamasaki, T., Nakamichi, N., Kashiwagi, T., Komatsu, T., Ye, J., et al. (2010). Suppressive effects of electrolyzed reduced water on alloxan-induced apoptosis and type 1 diabetes mellitus. Cytotechnology, doi:10.1007/s10616-010-9317-6.


5-      Li, Y.-P., Hamasaki, T., Teruya, K., Nakamichi, N., Gadek, Z., Kashiwagi, T., et al. (2011). Suppressive effects of natural reduced waters on alloxan-induced apoptosis and type 1 diabetes mellitus. Cytotechnology, in press.


6-      Li, Y.-P., Nishimura, T., Teruya, K., Maki, T., Komatsu, T., Hamasaki, T., et al. (2002). Protective mechanism of reduced water against alloxan-induced pancreatic b-cell damage: scavenging effect against reactive oxygen species. Cytotechnology, 40, 139e149.


7-      Li, Y.-P., Teruya, K., Katakura, Y., Kabayama, S., Otsubo, K., Morisawa, S., et al. (2005). Effect of reduced water on the apoptotic cell death triggered by oxidative stress in pancreatic b HIT-T15 cell. In F. Godia, & M. Fussenegger (Eds.), Animal cell technology meets genomics (pp. 121e124). Dordrecht: Springer.


8-      Oda, M., Kusumoto, K., Teruya, K., Hara, T., Maki, S., Kabayama, S., et al. (1999). Electrolyzed and natural reduced water exhibit insulin-like activity on glucose uptake into muscle cells and adipocytes. In A. Bernard, B. Griffiths, W. Noe, & F. Wurm (Eds.), Animal cell technology: Products from cells, cells as products

(pp. 425e427). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


9-      Shirahata, S., Li, Y., Hamasaki, T., Gadek, Z., Teruya, K., Kabayama, S., et al. (2007). Redox regulation by reduced water as active hydrogen donors and intracellular ROS scavengers for prevention of type 2 diabetes. In E. Smith (Ed.), Cell technology for cell products (pp. 99e101). Dordrecht: Springer.


10-  Shirahata, S., Nishimura, T., Kabayama, S., Aki, D., Teruya, K., Otsubo, K., et al. (2001). Anti-oxidative water improves diabetes. In E. Lindner-Olsson, et al. (Eds.), Animal cell technology: From target to market (pp. 574e577). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


11-  Gadek, Z., & Shirahata, S. (2002). Changes in the relevant test parameters of 101 diabetes patients under the influence of the socalled “Nordenau-phenomenon”. In S. Shirahata, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 12 (pp. 427e431). Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.


12-  Osada, K., Li, Y.-P., Hamasaki, T., Abe, M., Nakamichi, N., Teruya, K., et al. (2010). Anti-diabetes effects of Hita Tenryosui water, a natural reduced water. In K. Ikura, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 15 (pp. 307e313). Dordrecht: Springer.


13-  Jin, D., Ryu, S.-H., Kim, H.-W., Yang, E.-J., Lim, S.-J., Ryang, Y.-S., et al. (2006). Anti-diabetic effect of alkaline-reduced water on OLETF rats. Bioscience, Biotechnology, and Biochemistry, 70, 31e37.


14-  Kim, M.-J., & Kim, H.-K. (2006). Anti-diabetic effects of electrolyzed reduced water in streptozotocin-induced and genetic diabetic mice. Life Sciences, 79, 2288e2292. Kim, M.-J., Jung, K.-H., Uhm, Y.-K., Leem, K.-H., & Kim, H.-K. (2007). Preservative effect of electrolyzed reduced water on pancreatic b-cell mass in diabetic db/db mice. Biological and Pharmaceutical Bulletin, 30, 234e236.


15-  Gadek, Z., Hamasaki, T., & Shirahata, S. (2009). “Nordenau phenomenon” e application of natural reduced water to therapy. Follow-up study upon 411 diabetes patients. In K. Ikura, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 15 (pp. 265e271). Dordrecht: Springer


16-  Gadek, Z., Li, Y., & Shirahata, S. (2006). Influence of natural reduced water on relevant tests parameters and reactive oxygen species concentration in blood of 320 diabetes patients in the prospective observation procedure. In S. Iijima, & K.-I. Nishijima (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 14

(pp. 377e385). Dordrecht: Springer.


17-  Osada, K., Li, Y.-P., Hamasaki, T., Abe, M., Nakamichi, N., Teruya, K., et al. (2010). Anti-diabetes effects of Hita Tenryosui water, a natural reduced water. In K. Ikura, et al. (Eds.), Animal cell technology: Basic & applied aspects, Vol. 15 (pp. 307e313). Dordrecht: Springer.


18-  Higashikawa, F., Kuriya, T., Noda, M, & Sugiyama, M. (2009). Verification of improving action of mineral water on lipid metabolism in clinical trials. In Abstract book of the 7th meeting of the Japanese Society of Preventive Medicine (pp. 20).


19-  Simpósio sobre o Cerrado. 1980, Brasília. Deficiências Nutricionais em Solos. São Paulo: Editerra. P. 593-614


20-  Velloso da Costa, A. Studies of Magnesium and Calcium Excretion ia a Normal Population Sample in Brazil”, 1985. Halpern, Durlach Eds.: 233-38. Karger. Basel.


21-  Zubay, G., The Interaction of nucleic acids with Mg-ions. Biochim. Biophis. Acta, 1959, 32, 233.


22-  Hechter, O. Concerning possible mechanisms of hormone action. Vitam. Horm., 1955, 13, 293.


23-  Krahl, M.E., the Action of Insulin on Cells, Academic Press, 1961, New York, 177.


24-  Schacklette, H.T. e cols. Geochemical Environments and Cardiovascular Mortality Rates in Georgia, Geol Survey Professional Paper, 574 – D, U.S. Government Printing Office, Washington, D.C., 1971, F1.


25-  Keller, W.D., Drinking Water. A geochemical factor in human health. Geol. Soc. Am. Bu… 1978, 89,.334.


26-  Kobayashi, J., On Geographical relationship between the chemical nature of river water na death rates from applexy. Ber. Ohara Inst. Landwirtsch. Biol. Okayama Univ., 1957, 12,12.


27-  Karppanen, H. e P.J. Neuvonen., Ischaemic heart disease and soil magnesium in Finland., Lancet, 1973, 2, 1390.


28-  Schroeder, H.A., Losses of vitamins and trace minerals, resulting from processing and preservation of foods. Am. J. Clin. Nutr. 1971, 24, 562.


29-  Marier, J.R., Cardio protective contribution of hard waters to magnesium intake.


30-  Rev. Can. Bio. 1978, 37, 115.


31-  Seelig, M.S. Magnesium Deficiency in the Pathogenesis of Disease, Early, Roots of Cardiovasuclar, Skeletal, and Renal Abnormalities. New York e Loondre. Plenum Medical Book Co Ed,., 1980, pg 21.


32-  Altura, B.M. e B.T., Altura, Magnesium and Vascular tone an reactivity. Blood Vessel, 1978 15,5.


33-  Jones, J.E. e cols., Magnesium requirement in adults. Am. J. Clin, 1967, 20,632.


34-   Cordain, L., The palio diet, John Wiley ed. New York, 2002, p.32.


35-  Cotruvo J, Bartram J, eds. Calcium and Magnesium in Drinking-water : Public health significance, Geneva, World Health Organization, 2009.


36-  Guyton & Hall. Tratado de Fisiologia Médica, 2011


37-   Schechter, M., et al. Oral Magnesium Supplementation Inhibits Platelet-Dependent Thrombosis in Patients with Coronary Atrtery Disease, The American Journal of Cardiology, 1999, 84: 152-156.


38-  Velloso, V.C. Magnésio – O que el epode fazer por você? Thesaurus, 2010. 312p.


Efeitos Anti Câncer da Água Alcalina com ORP Negativo



Kyu-Jae Lee 1,2, Seung-Kyu PARK 1,2, Jae-Won KIM 1 , Gwang-Young Kim 1, Young-SukRyang 5, Geun-Ha KIM 1, Hyun-Cheol CHO 3, Soo-Kie KIM 2,3, E Hyun-Won KIM 2, 4

1Departamento de Parasitologia, 2 Instituto de Ciências Médicas Básicas, 3 Departamento de Microbiologia, 4Departamento de Bioquímica, Faculdade de Wonju Medicina, Yonsei Univ. (Wonju, Coreia) 5DeptofBiomedical Science Laboratory e do Instituto de Ciências da Saúde, Faculdade de Ciências da Saúde, Yonsei Univ. (Wonju, Coreia)


Abstract: Alguns minerais podem produzir água alcalina com pHalto e ORP negativo, quando dissolvido em água. Água alcalina reduzida (ARW) mostrou efeito anticancerígeno significativo. Quando células de melanoma B16 foram inoculadas por via subcutânea e intra-peritoneally, C56BL / 6 ratos alimentados com ARW mostrou retardo no crescimento do tumor e o tempo de sobrevida foi significativamente aumentado. ARW também mostrou a inibição da metástase, reduzindo o número de colônias de melanoma B16 quando injetado pela veia da cauda. A quantidade de espécies reativas de oxigênio (ROS) foi muito reduzida quando alimentados com ARW exceto para o baço, que é um órgão importante para a imunidade. Mesmo para os ratos normais, a ingestão de ARW invocoucitocinas sistêmicas, tais como, Th1 (IFN-γ, IL-12) e Th2 (IL-4, IL-5), sugerindo efeito imuno-modulação forte. Ambos os efeitos de diminuição das ROS e imuno-modulação pode ser responsável pelo efeito anticâncer da água alcalina reduzida.

Palavra-chave: água alcalina reduzida, efeito anticancerígeno, antioxidante, imuno-modulação


1. Introdução

Espécies reativas de oxigênio (ROS) ou radicais livres são um dos grandes criminosos porcausar o dano oxidativo a macromoléculas biológicas. Estes ROS instáveis ​​são conhecidos por causar ou agravar uma variedade de incurável doenças como câncer, doenças cardiovasculares, doenças neuro-degenerativas, bem como o envelhecimento.


2)O celular radial-catadores, tais como superóxido dismutase, catalase, glutationaperoxidase são naturais sistema de defesa contra ROS. Fonte externa de proteção antioxidante incluem vitaminas antioxidantes C, E,  caroteno e carotenóides, bem como minerais, tais como selênio e zinco. Grandes esforços têm sido feitos em uma tentativa de encontrar seguros e potentes antioxidantes naturais. Água consiste de 70% do corpo humano. Água atinge todos os tecidos do corpo humano dentro de 30 minutos após ser ingerida. Ele ainda flui através de barreira hemato-encefálica com nenhum obstáculo, e tem quase nenhum efeito co-lateral. Se a água em si poderia funcionar como um agente de limpeza, seria ideal se ela se transformasse em antioxidante.


3) Recentemente, a água eletrolisada com pH elevado e ORP negativo foi demonstrado que têm como atividade catalítica, podendo, assim, limpar espécies ativas de oxigênio e proteger o DNA dos danos causados ​​pelos radicais livres de oxigênio.


4)Nós desenvolvemos uma combinação mineral para produzir água reduzida alcalina (ARW) com pH alto e baixo ORP semelhante ao processo feito por eletrólise.A combinação de minerais se mostrou mais fácil de transportar e mais barata do que o sistema de eletrólise para produzir água alcalina com ORP negativo. O presente artigo demonstra efeito anticancerígeno da água alcalina reduzida em modelo animal. Hyun-Won KIM, Ph.D., Departamento de Bioquímica, Faculdade Wonju de Medicina, Yonsei Univ., Wonju 220-701, Coréia.



2. Materiais e Métodos

Água alcalina reduzida (ARW)

ARW foi feita colocando combinações mineral em garrafa de água. O pH da água foi aumentada até 10,5 e ORP foi diminuída até-200mV. O mineral conteúdo de ARW também foram aumentados dependendo do tempo. Células animais e Camundongos C57BL / 6 (4-5 semanas) foram obtidos a partir do DaehanLink BioCo., Ltd. (Chungbuk, Coréia), e mantidos em ração padrão e água de torneira, até tomar ARW. Linhagens de células de melanoma de Rato B16 foram mantidos em Dulbecco Modificado de Águia (DMEM) suplementado com 5% inativado pelo calor do soro fetal bovino (FBS) em atmosfera húmida de 95% do ar-5% CO2 a 37 ° C. A alta linhagem de células metastáticas B16 foi isolado do pulmão de camundongos C57BL / 6 do rato, que tinha foram inoculados intra peritonealmente com células B16. Células foram clonados pelos métodos de diluição limitante eos clonados selecionados foram inoculados em camundongos. Este método foi repetido três vezes, eo clone final com alta potencial metastático foi obtido como B16-BL6 células de melanoma. Avaliação in vivo do Efeito Anti metastatic Culturas de células de melanoma B16-BL6 foram colhidas com 2 mM EDTA em PBS, e em seguida lavadas três vezes com PBS. 1 × 106Células B16-BL6 melanoma foram por via intravenosa, injetados na veia da cauda de controle e ARW- administrados camundongos C57BL / 6. Após 20 dias, camundongos foram sacrificados e os pulmões foram coletados para contar as colônias de metástase células B16-BL6 melanoma. Na supressão do crescimento tumoral Vivo Culturas de células de melanoma B16-BL6 foram colhidas com 2 mM EDTA em PBS, lavadas três vezes com PBS. 1 × 10 6Células B16-BL6 melanoma foram subcutaneamente injetado na parte de trás C57BL / 6 mouse. O comprimento do eixo longo e curto do tumor foram medidos a cada dia e os volumes foram calculados usando a fórmula ab 2 / 2, onde a é o comprimento de tempo eixo e b o comprimento do eixo curto.  Curva de sobrevida foi plotados usando Kaplan-Meier.


Página 2

Citocina ELISA

As concentrações de citocinas de soro de camundongos foram medido pelo método convencional sandwich ELISA. O revestimento e o anticorpo de captura biotinilado foram adiquiridos da PharMingen (EUA): clones JES5-2A5 e JES5- 16E3 para IL-4 e clones R4-6A2 e XMG1-2 para IL5,  respectivamente. Revestimento em 96 poços da placa de microtitulação foi realizada com 250g de anticorpo de revestimento. Amostra de soro, anticorpo de captura biotinilado, o anticorpo secundário e então streptavidinylated HRP foi adicionado seqüencialmente, incubadas e lavadas. O solução de fenilenodiamina foi adicionado para o desenvolvimento e ácido sulfúrico 2N para parar o de desenvolvimento. A absorvância a 490 nm foi medida com leitor de ELISA a 490 nm. ROS Assay Quantificação de citosólica ROS foi medido por método de oxidação de 2', 7'-dichlorofluroscein diacetato- (DCF-DA), conforme descrito em outro lugar


5)12,5 M DCFDA foi incubada com o fígado, baço, pulmão, ou cérebro homogeneizado e mudança de fluorescência foi medida em 485 nm de comprimento de onda de excitação e 585 nm de emissão comprimento de onda. A unidade relativa de fluorescência (RFU) foi calculado para um mg de proteína homogeneizada.


3. Resultados

Efeito da ARW no crescimento do tumor eo tempo de sobrevida O crescimento do tumor foi significativamente reduzida nos grupos alimentados com ARW. Após dias 10 de injeção subcutânea de B16 células de melanoma em camundongos flanco de C57BL / 6, a massa do tumor era palpável e, posteriormente, medidos em série. Em 10 dias o tamanho do tumor foi de0,27 centímetros grupos alimentados com ARW, enquanto que o grupo alimentado com água de torneira foi 0,48 centímetros. Em 19 dias, o tamanho do tumor foi de 3,32 centímetros para grupos alimentados com ARW, e 6,02 centímetros ara o grupo controle, mostrando inibição de 54%.A Taxa de sobrevivência também foi monitorada após intraperitoneal injeção de células de melanoma B16 em camundongos C57BL / 6. O grupo alimentado com ARW obteve um acréscimo de 44 dias de sobrevivência, enquanto o grupo controle somente 36 dias.

Avaliação da atividade anti metastática de ARW em metástase pulmonar de B16.

Após a injeção intravenosa de células de melanoma B16 para camundongos C57BL / 6 pela veia da cauda, ​​a atividade anti metastáticade ARW foi avaliada. 15 dias após a injeção, os ratos foram sacrificados. Seus tecidos de pulmão foram retirados e as lesões metastáticas foram comparados. O grupo alimentado com ARW tinham menos lesões metastáticas. 257 colônias Negras foram contada nos pulmões do grupo alimentado com ARWe 145 pontos negros foram mostrados no grupo controle, indicando 44% inibição contra a metástase de células de melanoma. Como a célula de melanoma é mostra o aumento do estresse oxidativo, que poderia apoiar a progressão da concentração de metástase, os ROS também foram medido para cada órgão do melanoma. B16 foi injetado em ratos usando DCFH-DA (Fig. 1).  Quantidade de ROS de pulmão, fígado, rim e foram muito baixos nos ratos alimentados com ARW comparada com a de controle. No entanto, o baço, o que é um órgão importante para a imunidade, mostra ROS muito alta em grupos alimentados com ARW. Isto pode sugerir que o sistema imunitário impulsiona os efeito da ARW. Fig. 1.


Efeito da ARW sobre ROS. Limpeza em camundongos. Avaliação de imuno-modulaçãodos efeito da ARW. Ingestão de ARW invoca citocinas sistêmicas, tais como, Th1 (IFN- IL-12), citocinas da imunidade celular e Th2 (IL-4, IL-5), citocinas da imunidade humoral (Fig. 2).  Isto sugere que ARW estimula tanto o sistema celular como imunidade humoral. Th1 e Th2 atingiram pico Maximo atingido após duas semanas de alimentação com a ARW e depois retornou à linha de base. Os níveis de Citocinascom o grupo controle permaneceu na linha de base.


4. DISCUSSÃO

Recentemente, a água eletrolisada reduzida com pH elevado e redox negativo foi prova do que têm de SOD e catalisticas e assim, pode limpar e proteger o DNA dos danos causados por Radicais Livres e ​​pelos radicais de oxigênio in vitro.  Se a ARW realmente age como antioxidantes e protege o DNA de danos, pode ser que a hipótese de que a ingestão de ARW mostram efeito anti câncer. Presente investigação demonstra o efeito anti câncer da ARW. Ingestão ARW desacelerou o crescimento do tumor, e inibiu a metástase por via intravenosa, levando a tempo de sobrevivência prolongada no B16 camundongos injetados com melanoma. B16 de células de melanoma é um dos tumores mais freqüentes em seres humanos e é caracterizada por sua alta capacidade de invasão e metástase 6, 7) Eles escapam imunes da  vigilância e se espalham mais rapidamente do que qualquer outro tumor usando vários mecanismos, incluindo MHC-down regulação, aumento dos niveis de ROS, e assim, acelerar a progressão da metástase.


Nosso estudo demonstrou que ARW não só atua como um antioxidante, mas também atua como um forte imunuo-modulador, ambos os quais poderiam ser responsáveis ​​pelo efeito anti câncer. Assim, a ARW é indicada por ser eficaz contra várias doenças decorrentes da baixa imunidade e / ou contra altos níveis de ROS, bem como para a prevenção do câncer. ARW não só tem pH alto e ORP baixo, mas também contem alguns íons de magnésio. Recentemente, magnésio foi demonstrou ser eficaz para a prevenção de várias doenças.


Não podemos excluir a possibilidade de que o magnésio em ARW pode ter contribuído para o efeito anti câncer. Água atinge todos os tecidos do corpo humano dentro de 30 minutos depois de beber. Ele ainda flui através do cérebro do sangue barreira com nenhum obstáculo, e tem quase nenhum efeito lateral. Tomando ARW poderia ser uma maneira ideal para manter a saúde.


Referências


1) Feig, DI, Reid, TM, e Loeb, LA: reativas de oxigênio Espécies na tumorigênese, Res Câncer, 54:. 1890-1894, 1994.


2) Reid, TM e Loeb, LA: Especificidade mutagênico de Radicais de oxigênio produzidas pelas células de leucemia humana. Cancer Res, 53:. 1082-1086, 1992.


3) Kim, HW: Definição A razão de todas as doenças, de Oxigênio ativo, "Água O Melhor para o corpo humano", 60-62, Seul, Seojiwon imprensa, 2002.


4) Shirahata, S., Kabayama, S., Nakano, M., Miura, T., Kusumoto, K., Gotoh, M., Hayashi, H., Otsubo, K., Morisawa, S., e Katakura, Y.: electrolyzed reduzida Água Elimina espécies ativas de oxigênio e protege o DNA de Dano oxidativo.

Biochem.Biophys. Res. Commun, 234.: 269-274, 1997.


5) Kim, SH, HJ, C., Kang, DH, Song, GA, Cho, M., Yang, EUA, Kim, HJ, e Chung, HY NF-kBvinculativo

atividade e expressão da ciclooxigenase-2 em persistente . CCl4 tratados com lesão de fígado de rato J MedSciKor, 17: 193-200, 2002.


6) Hofmann, UB, Westphal, JR, Van Muijen, GN, e Ruiter, DJ Matrix metaloproteinases em melanoma humano. J InvestDermatol, 115: 337-344, 2000.


7) Shah, AH, Tabayoyong, WB, Kundu, SD, Kim, SJ, Parijs, LV, Liu, VC, Kwon, E., Greenberg, NM, e Lee, C. Supressão de metástase do tumor pelo bloqueio de fator de crescimento transformador de sinalização em células da medula óssea.












Artigo retirado do livro: "O Flúor e Outros Vilões da Humanidade"

 O Flúor, desde que foi adicionado a água de consumo, passou a ter como opositores cientistas, dentistas, médicos e ecologistas, preocupados com os seus efeitos sistêmicos em plantas, animais e no Homem.

Seguem-se estudos recentes sobre o Flúor, demonstrando os efeitos maléficos causados por esse elemento, possivelmente o maior vilão de toda a historia do Homem.

“A fluoretação da água é um fenômeno peculiar americano. Ela começou quando o amianto revestia canos, chumbo era colocado na gasolina, PCB’s introduzidos em transformadores e o DDT era considerado como seguro e efetivo. Um a um esses produtos químicos foram sendo banidos, mas a fluoretação permaneceu intocada” (The absurdities of Water Fluoridation, Paul Connet, Ph.D., Novembro 2002).

Esse mesmo autor acrescenta que a fluoretação é anti-ética, porque não respeita o direito individual de uso, porque não se pode controlar a dose dada ao paciente, e porque ignora o fato de que algumas pessoas são mais vulneráveis aos efeitos tóxicos do que outras.

“fluoretação é um erro extremamente perigoso” (...) “Fluosilicicos nunca foram testados quanto a segurança em humanos e animais” (...) “Espantosamente os fluossilicicos são resíduos de industrias de fertilizantes e contém quantidades traço de contaminantes, tal como o Arsênico, mercúrio, Chumbo e outros” (Paul Beeber, presidente da Coligação de Oposição à Fluoretação do Estado de Nova York).

Com relação aos distúrbios orgânicos causados pelo flúor, pesquisas têm demonstrado que:

- os sintomas iniciais de fluorose Osteoarticular, são caracterizados por dores nas juntas, que é difícil de distinguir de artrite. De acordo com a revista de fluoretação “Chemical Engineering News”, pelo fato de que sintomas clínicos são semelhantes à artrite, as duas primeiras fases de Fluorose osteoarticular podem ser facilmente mal diagnosticadas (como artrite). Da mesma forma, a própria Organização Mundial de Saúde alerta que casos iniciais (de Fluorose osteoarticular) podem ser diagnosticados como reumatóides ou osteoartrite”.

É estimado que aproximadamente 40 milhões de americanos sofrem de artrite, do tipo mais comum, a osteoartrite.

Reforçando a campanha anti-fluor, Paul Connet, Ph.D., professor de Química da Universidade de St. Lawrense e Michael Connet publicaram, em Março de 2001, o artigo “50 reasons to Oppose Fluoridation” (50 razões para se opor a fluoretação), do qual extraímos alguns trechos:

Sendo cumulativo, somente 50% do Flúor ingerido diariamente é excretado pelos rins, o restante fica acumulado nos ossos, glândula pineal e outros tecidos.

O nível de flúor na água (1ppm) é 100 vezes mais alta que a normalmente encontrada no leite materno, que é de apenas 0,01 ppm.

O Flúor é mutagenico, causa dano cromossômico e altera a função dos espermatozóides, reduzindo assim a taxa de fertilidade. Ele forma complexos com grandes números de metais, inclusive os necessários ao organismo. Altera enzimas onde o magnésio é um importante co-fator e carreia Alumínio para o cérebro, agravando o Alzheimer.

Em 1995 o jornal norte-americano “Neurotoxicology and Teratology” publicou estudos mostrando que o Flúor acumulado no cérebro de ratos produziu déficit comportamental típico de agentes neurotóxicos. No estudo, o Flúor induz dano na região do hipocampo cerebral, área ligada a hiperatividade e déficits cognitivos.

Estudos chineses mostram baixa de Q.I. em crianças, associados a exposição ao Flúor (Li e colaboradores, 1995, Zhao e colaboradores, 1996 e Lu e colaboradores, 2000).

O Flúor acumula em ossos, tornando-os quebradiços e aumenta a taxa de fraturas de bacias em idosos. Dezenas de estudos de laboratórios têm demonstrado que o Flúor é mutagênico e que é uma substancia carcinogênica. Ratos tratados com Flúor tiveram um significativo aumento estatístico de câncer ósseo (osteosarcoma), o que não foi encontrado nos ratos controles.

Acumulando-se na glândula pineal, reduz a produção de melantonina, hormônio importante na indução do sono e cuja redução pode levar ao inicio precoce da puberdade.

“Anteriormente, no século XX, o Flúor era prescrito por um certo numero de médicos europeus para reduzir a atividade da glândula tireóide, para aqueles que sofriam de hipertireoidismo” (Merck Index, 1960, pg. 952, Waldbott e colaboradores, 1978, pg 163).

O Flúor é, portanto, um depressivo tireoidiano, podendo levar a hipotireoidismo e consequentemente a disturbios relacionados a ele, como depressões, fadiga, aumento de peso, dores musculares, aumento de colesterol e doenças cardíacas.










Acompanhe abaixo as dúvidas mais frequentes enviadas pelos nossos distribuidores.

  • É preciso ter algum cuidado especial para manter os elementos filtrantes do AcquaLive Prime em bom funcionamento?

Para manter os elementos filtrantes em bom funcionamento é importante que eles sejam lavados sempre que houver diminuição do fluxo de água filtrada. Para lavar os elementos filtrantes, use somente água ou escova macia (ambas limpas). Para melhor desempenho e durabilidade do produto, escolha um lugar arejado e afastado do sol para instalá-lo.

  • A água ou algum recipiente do AcquaLive Prime está esverdeada. O que pode ser?

Trata-se de algas que aparecem devido exposição à luz solar ou fonte muito luminosa. O AcquaLive Prime não pode estar exposto à luz solar direta ou fonte luminosa forte. A exposição do produto a essas condições pode acarretar a proliferação de algas, alterando a cor da água que se torna amarela ou esverdeada. As algas são organismos do reino vegetal, presentes naturalmente na microbiota das águas minerais naturais, como a água que foi tratada pelo Acqualive, rica em sais minerais. Elas são microscópicas, porém, como todo organismo fotossintético, utiliza a luz solar para produzir nutrientes orgânicos e se reproduzirem. Pela fotossíntese, através da luz solar, produzem clorofila, que é a responsável pela alteração da coloração da água. Estas algas não são patogênicas, não causam distúrbios no organismo humano, porém, seu aparecimento altera as características visuais e organolépticas da água.

Quando ocorre o desenvolvimento de algas no Acqualive Prime, estes organismos podem se fixar na parede do recipiente ou do bebedouro e liberar na água vários compostos orgânicos e pigmentos, com odor e sabor desagradáveis, além de causar alterações das características físico-químicas da água e até entupimento de filtros com formação de limo e flocos. Mantenha sempre o Acqualive Prime em local fresco e arejado, longe da incidência direta de luz solar e fonte luminosa forte, evitando assim o processo da fotossíntese.

Em caso de aparecimento de algas, todo o conjunto deve ser lavado com sabão neutro, incluindo boias e bocais dos refis, exceto a parte cerâmica dos refis. Após a limpeza com sabão neutro, enxaguar bastante com água da torneira. Caso a cerâmica dos refis esteja com formação de algas, os mesmos devem ser substituídos. Após a limpeza, deixar escorrer os primeiros 20 litros (aproximadamente duas vezes o volume do recipiente superior) para completar o processo. Esse procedimento é necessário com ou sem a substituição dos refis.

  • Existe um tipo especial de reservatório para acoplar o Acqualive Prime?

Não. Você pode utilizar um reservatório comum, que tenha as opções de água gelada ou natural, encontrados facilmente no mercado.

  • Fiz a montagem do meu Acqualive, mas está ocorrendo vazamento. O que pode ser?

A principal orientação para que seu Acqualive fique bem instalado e com funcionamento perfeito, é para que todas as arruelas e boias sejam bem apertadas e colocadas nos lugares corretos. A inversão da posição de uma arruela de vedação, por exemplo, pode ocasionar vazamento. Acompanhe o Manual durante a montagem e observe com atenção as posições de cada peça.

  • Posso utilizar água de poço ou de rio no Acqualive?

Água de rios e poços podem conter impurezas e micro-organismos desconhecidos, por isso, apesar de nosso sistema de filtragem e tratamento possuir eficiência máxima, não há como garantir o resultado, bem como a durabilidade dos refis, haja vista que fatores como turbidez e compostos orgânicos na água diminuem sua vida útil.

Caso a única fonte de água disponível seja de rio ou poço, sugerimos fazer uma análise em laboratório e também, sob orientação da companhia de saneamento, fazer a adição de cloro antes da passagem pelo Acqualive. O sistema de filtragem e tratamento utilizado pelo Acqualive é o mesmo utilizado para filtrar água em regiões onde ocorreram catástrofes naturais, como tsunamis, enchentes, vendavais, furacões, que comprometeram o abastecimento de água à população, pois, além da parede microporosa de 0,5 microns, que detém mais de 80% das bactérias, possui revestimento interno de Prata Coloidal, que elimina vírus e bactérias. O Acqualive foi concebido para tratamento de água que atenda aos padrões da Portaria 518 do Ministério da Saúde.

  • Qual a validade do filtro?

O nosso filtro foi elaborado para tratar de 700 a 1.000 litros de água, que corresponde de 4 a 6 meses de uso. Podem haver variações de acordo com a quantidade de água consumida e com a qualidade da água da região. Recomendamos a substituição dos refis a cada 4 meses, o que garantirá sempre água da melhor qualidade para você e sua família.

  • Qual a validade dos recipientes?

A validade dos recipientes do Acqualive é indeterminada, cuja durabilidade dependerá das condições de uso e manuseio. Deve ser instalado em local ao abrigo do sol e manuseado com cuidado, principalmente durante a limpeza dos elementos filtrantes e do próprio reservatório inferior. Diferentemente dos recipientes utilizados no fornecimento de água mineral, que circulam e por isso possuem desgaste acelerado, o Acqualive não está sujeito à portaria DNPM nº 358/2009, que determina a validade em 3 anos.










 

  AVISO AOS CLIENTES ACQUALIVE DO PARÁ E AMAPÁ QUE, EM CASO DE TROCA DOS ELEMENTOS FILTRANTES DE ÁGUA DO IONIZADOR ACQUALIVE E SUAS MARCAS COMO HABITAH E OUTRAS, OU SE ESTA INTERESSADO EM CONSUMIR AGUA ANTIOXIDANTE, DEVERAO PROCURAR A LOJA FRANQUEADA EM BELÉM, SITUADO NA AVENIDA VISCONDE DE SOUZA FRANCO 1393, ENTRE JOSE MALCHER E JOAO BALBI, NO HORARIO COMERCIAL, OU SABADO DAS 9 AS 12H, OU FALAR COMIGO PELO WHATSAPP 91983590789.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário